Automatizando um bebedouro de água mineral. 1a parte: justificativas

Hoje somente três pessoas moram aqui em casa: eu, meu pai e minha mãe. Até aproximadamente um ano e meio atrás eu era o único que tinha condições físicas para trocar o garrafão de água mineral no bebedouro, mas isso mudou quando tive uma preocupante crise de coluna e os médicos disseram que eu não deveria mais levantar peso. Nunca mais.

Minha mãe não abre mão de jeito nenhum de beber água mineral gelada e nenhuma opção que eu ofereci (usar filtros modernos, trocar os garrafões de 20 litros por garrafões de 10 litros, deixar de usar bebedouro e colocar garrafas na geladeira, comprar uma geladeira com dispenser, etc) foi aceita por ela (ok, eu também não gosto da geladeira com dispenser). Eu não ia mais levantar garrafões e nem ela queria que eu fizesse isso depois do que ela testemunhou acontecer comigo, mas então a teimosa, que também tem problemas de coluna, ia continuar trocando os garrafões sozinha.

É importante citar aqui que nem eu nem minha mãe gostamos da idéia de estranhos entrando em nossa casa periodicamente. No quintal, só porque não tem jeito mesmo. Dentro da casa, só em último caso. E o fato de ter que esperar para que alguém venha fazer a troca do garrafão é mais um ponto negativo. Aqui nós temos um estoque de uns cinco garrafões que permite que a troca seja feita imediatamente por nós, com semanas de autonomia.

Comecei a pensar em soluções “de engenharia”. A primeira idéia que me passou pela cabeça foi uma espécie de elevador para o garrafão operado por manivela. O garrafão seria abraçado com uma cinta e elevado até uma altura em que pudesse ser girado sem esforço (ainda preso na estrutura) e depois abaixado já virado sobre o bebedouro. Problema: eu ia precisar de muita ajuda com serralharia e mecânica para montar algo que agüentasse suspender 21kg sem quebrar e oferecendo um mínimo de esforço para o usuário. E ainda seria um trambolho.

Caramba… não é só a minha família que tem problemas de coluna e não gosta de estranhos dentro da casa. Não é possível que não exista uma solução pronta…

Então me ocorreu usar uma bomba para puxar a água do garrafão, que não sairia do chão, para dentro da cuba do bebedouro. “Isso aí deve existir pronto”, pensei. E uma rápida pesquisa no Google mostrou que até existe, mas é danado de raro e tem um preço nem um pouco realista. A única ocorrência que encontrei no Google foi a Engefrio, que curiosamente é aqui de Recife e o produto, que é até bonito, custa R$1143. Um bebedouro normal e tradicional, com compressor, de marca conhecida, sai por uns R$350 aqui em Recife mesmo. Como justificar os R$800 extras por uma bomba e um gabinete bonitinho?

Nota: depois que publiquei o post foi que notei que a Engefrio agora coloca marca e modelo do bebedouro no anúncio. É um Esmaltec EGCQF HE. Eu pensava que fosse fabricação própria da Engefrio por não encontrar em outro lugares com os mesmos termos de busca. De qualquer forma, está indisponível em todas as lojas e o mais barato que achei foi R$849 na Credimóveis (também aqui de Recife)

Como eu tenho alguma experiência com automação decidi experimentar criar meu próprio sistema. Eu tinha tudo o que era preciso exceto uma coisa: a bomba. E adquirir isso mostrou ser um razoável desafio. Eu tenho certeza de que alguém vende isso aqui em Recife para algum propósito, mas onde? Parece que os comerciantes ainda não descobriram a internet por aqui (e nem no resto do país, a propósito). Pensei em usar uma bomba de aquário, mas descobri testando exemplares fornecidos pelo amigo José Carneiro que a maioria delas é feita para ser usada submersa (praticidade e higiene discutíveis) e não tem qualquer poder de sucção. Depois de muita pesquisa concluí que minha melhor opção era comprar uma mini bomba de diafragma na China e depois de uns três meses esperando o primeiro exemplar chegou (comprei duas, de dois vendedores diferentes, para garantir).

O resultado, que vou discutir em futuros posts, ficou melhor do que eu esperava. A foto abaixo é do meu primeiro protótipo. O garrafão fica do lado de fora da casa e toda vez que alguém bebe água no bebedouro um sensor de nível é acionado e a bomba completa o nível da cuba em segundos.

bomba para bebedouro

bomba para bebedouro

Pontos positivos: nenhuma modificação é necessária no bebedouro, seja elétrica ou mecânica.

Ponto negativo: não é possível ter água que não seja gelada com essa configuração.

Leia também a segunda parte.

39 comentários
  • Jefferson - 6.098 Comentários

    Nota: este post foi publicado antes do post sobre geladeira com dispenser de água gelada, mas por razão desconhecida o status dele mudou de “publicado” para “agendado para novembro de 2015” (é mole?) e desapareceu do blog depois que eu publiquei o post seguinte. Eu só percebi isso porque estranhei vários comentarem o post sobre o dispenser e ninguém comentar este.

    • Henrique de Marias - 1 Comentário

      Estou fazendo um projeto para instalar bebedouro automático, porem com um temporizador e moedeiro, para liberar copo de 250ml a cada moeda. Voce pode me ajudar? acho que este seu projeto para ficar como eu quero seria só acrescentar o moedeiro e um temporizador.

  • Sony Santos - 58 Comentários

    Olá! Legal a “engenharia”. Eu achei que você iria usar como reservatório um dos garrafões vazios montado no bebedouro. Penso que isso permitiria água não gelada.

    • Jefferson - 6.098 Comentários

      Eu pensei em fazer isso mas no momento não sei como simular o vácuo dentro do garrafão para que ela não caia dentro da cuba.

      • Nelson - 3 Comentários

        Olá, estou usando um bebedouro esmaltec com bambona.
        Desejo fazer um projeto para liga-lo direto na rede de água da minha residência.
        Alguma sugetão?

        • Jefferson - 6.098 Comentários

          Você pode usar um solenóide de máquina de lavar para controlar a entrada de água.

          • Nelson - 3 Comentários

            Sim, pensei nesta solução. Preciso acionar o solenóide no mesmo instante que libera a água para servir. E regular a quantidade de água que entra igual a que sai.

          • Nelson - 3 Comentários

            Já abusando, terias uma sugestão das características do controlador de nível para comandar a válvula de entrada de uma máquina de lavar, :D ou vou precisar de uma relé para acionar a válvula?

            • Jefferson - 6.098 Comentários

              Se for usar um sensor simples como este precisará de um transistor e um relê.

              • zoraide - 1 Comentário

                Comprei o bebedouro da esmalte, o modelo egcqf he, mas não sei qual o problema, a água que deveria sair natural, sai gelada, também!
                Estou precisando de um elevador que erga o botijao até a pia para ser higienizado e em seguida descê-lo para colocar no bebedouro.

  • Saulo Benigno - 279 Comentários

    Pergunta, qual seria o problema de garrafa na geladeira? Curiosidade mesmo.

    Eu usava aqui em casa aquelas, se não me engano o nome é “BELLA BOMBA”

    https://www.youtube.com/watch?v=dEuxAA0FUVw

    Acha em qualquer supermercado por aqui em Recife. Bem prático para encher as garrafas e não ter problema de coluna.

    Realmente, água mineral é outra coisa, mas me acostumei com filtro/purificador Philips que encaixa na torneira da casa. A diferença do gosto você sente fácil, demora um pouco para se acostumar. Tem mais de 4 anos que uso sem problema, dura uns 8 meses (6 recomendado pela Philips) e cada refil custa 99 reais. Encho as garrafas com ele e vai para geladeira. Praticidade 80%

    Mas o gosto muda :)

    • Jefferson - 6.098 Comentários

      O problema é mamãe. Ela briga com todo mundo que deixa garrafas apenas um terço cheias na geladeira. O que inclui a mim, porque eu não vejo sentido em “completar” uma garrafa, misturando água perfeitamente gelada com natural.

      Quanto a essa bomba, teria que ser o modelo elétrico ou um modelo manual com uma válvula de passagem. O modelo manual que testei funciona muito bem quando o garrafão está cheio, mas o esforço para bombear fica progressivamente maior à medida que o garrafão esvazia. A válvula, se existe, não funciona.

  • Intruder_A6 - 192 Comentários

    O aspecto não ficou la muito bonito, mas isto mostra o que se pode fazer com arduino e uns poucos dólares. Com um pouco mais de engenhosidade talvez se possa montar numa caixa para ficar mais profissional (eu até hoje nunca fiz isso).

    Eu por exemplo montei uma pequena estação meteorológica (ficou uma tremenda gambiarra) com um arduino mega e alguns sensores (temperatura, umidade, pressão barométrica e um RTC com precisão melhor que 1ppm com um RTC com compensação de temperatura). Cheguei a fazer uns testes com um PT100 de montagem caseira, mas tive uns problemas com instabilidade na medição (problema com precisão e estabilidade da tensão de referência, eu acho). E fiz programando em Bascon (sou burro velho, tenho dificuldade de aprender a programar em C).

  • Arthur - 13 Comentários

    Jefferson. Não entendi a parte de “não poder usar agua sem ser gelada” Pelo que entendi a bomba puxa através do “caninho” e “joga” no bebedouro e pelo que sei o bebedouro tem dois canos (agua natural e gelada) a menos que só tenha uma torneira. Abs

    • Jefferson - 6.098 Comentários

      O bebedouro tem uma cuba para gelar a água e um cano por onde água natural é coletada direto dentro do garrafão, acima do nível máximo da cuba. Que eu saiba todo bebedouro desse tipo opera por um princípio similar.

      Para ter água natural sem a presença do garrafão é preciso criar um reservatório. E ainda não sei como fazer isso sem ter que colocar uma segunda bomba porque bebedouros a garrafão dependem de vácuo para funcionar e não tenho um meio fácil de recriar isso.

      • Luciano - 438 Comentários

        Essa parte eu sei responder. Existem dois tipos de bebedouros.

        Os eletrônicos, o qual usam uma placa peltier pra resfriar (não gela pra valer, eu tenho um e não recomendo e estou pra trocar por um com compressor), no caso a placa peltier fica presa a dois radiadores de alumínio, o lado frio fica montado dentro de uma espécie de “garrafa térmica” dentro do corpo do bebedouro, e acima dele fica conectada a cuba onde coleta-se por sifão a água do garrafão. E neste caso, a torneira de água em temperatura ambiente, coleta diretamente dessa cuba.

        Já os bebedouros a compressor, estes tem a serpentina do evaporador enrolada dentro da cuba, e a água natural é coletada por um pescador que fica dentro da boca do garrafão. Por isso essa diferença.

        Se o seu bebedouro fosse desses modelos eletrônicos, ai você teria água natural e gelada, mas como disse, corra dessas porcarias, elas não gelam a água pra valer.

  • Marcel - 52 Comentários

    E se você mantiver o garrafão sobre o bebedouro e fizer a mangueira entrar pelo gargalo e subir?
    Exceto se entrar ar no circuito, o vácuo estaria mantido. Só não sei se a bomba teria pressão para mandar a água, e a ponta dela deveria estar abaixo da linha da água.

  • snowzpoc - 265 Comentários

    Oi Jefferson,

    Fui ver o vídeo que Saulo postou, e vi que pesquisando no Youtube aparecem outros projetos de motores assim, tem uns pequenos e bem potentes.

    Só não vi ensinando a fazer o projeto. :dashhead1:

  • GoGoBoy - 3 Comentários

    Você não precisa de vácuo. Dá pra usar como está usando.

    O reservatório será preenchido primeiro e o excesso de água abastecerá o filtro, que desligará quando a boia mandar.

    O segredo está na altura do furo que alimenta o filtro pelo reservatório. Na verdade, a alimentação da reservatório pode estar acima da alimentação do filtro, e talvez assim até seja melhor para preservar a bomba. Mas não é preciso de vácuo. Basta usar a boia.

    Quando a água encher o reservatório, você começa a encher o filtro. Você sempre terá água quente. Se tiver mais água que o máximo suportado pelo reservatório, então, poderá ter água gelada também, :D

    • Jefferson - 6.098 Comentários

      Se entendi direito sua explicação e o desenho, você está partindo do pressuposto de que eu tenha dois compartimentos de água. Não tenho. Um bebedouro de água gelada possui apenas um. O segundo compartimento é o garrafão, que só se mantém cheio graças ao vácuo.

      • GoGoBoy - 3 Comentários

        Como represento a situação atual:

        [img]https://ryan.com.br/blogs/quicktalk/wp-content/uploads/2015/01/Filtro2.png[/img]

        Você só precisa de um INTERMEDIÁRIO + um CANO + uma TORNEIRA.

        Todo o resto está pronto e funciona. É um “homem no meio”!

        E como intermediário, pode-se muito bem ser o FUNDO de um garrafão de 20 litros com uma torneira instalada. A alteração é extremamente barata. A água escorrerá do reservatório (intermediário) para o filtro ao se atingir o nível máximo de água.

        E para encher o intermediário – neste modelo mais simples proposto – basta consumir um pouco de água gelada. O suficiente para fazer a bóia do filtro entrar em ação.

        A bóia quando “ligada” faz a bomba encher o reservatório intermediário, o qual a partir de um certo momento escoará o excesso de água para o filtro. Enchendo o filtro, a bóia desligará a bomba.

        Não é preciso vácuo assim, e talvez seja interessante que a mangueira de escoamento seja um pouco mais larga que a mangueia que conecta a bomba ao intermediário, para que o tempo de acionamento da bomba seja mais ágil.

        [img]https://ryan.com.br/blogs/quicktalk/wp-content/uploads/2015/01/Filtro3.png[/img]

        abraços!

  • GoGoBoy - 3 Comentários

    Pensando melhor…

    Na verdade, ou vai ter que usar duas boias, ou então, sempre terá que colocar um pouco de água gelada pra encher o reservatório.

    Pois há o caso quando o filtro está cheio, o reservatório vazio e bomba não trabalhará. Se usar um pouco de água gelada, será o suficiente pra a boia ativar a bomba, encher o reservatório e então o filtro.

    É econômico, não ideal, mas funciona sem usar outra boia e sem usar outra bomba. Mas como disse, com duas boias assim também funciona. Não sendo necessário duas bombas.

  • Luciano - 438 Comentários

    Eu só vejo um jeito relativamente “fácil” de resolver este problema. Mas teria que mexer um pouco no bebedouro, vamos ver se eu consigo explicar.

    Faça um furo na cuba do bebedouro, bem próximo a base, de forma que possa ligar ali uma mangueira. Leve essa mangueira até um outro reservatório, pode ser uma garrafa PET de refrigerante. Ligue a mangueira a base da garrafa também.

    Nessa mangueira deverá ter uma válvula de retenção, que só permita a passagem água no sentido da garrafa para a cuba. (a válvula você pode construir em casa mesmo, com uma esfera de vidro ou plástico)

    Dê um jeito de desligar ou desviar a conexão da torneira de água natural para essa garrafa.

    Alinhe a garrafa PET do lado de fora do bebedouro, de forma que a base da garrafa fique na mesma altura da base da cuba.

    Conecte a mangueira da bomba a essa garrafa. Passe o sensor de nível para a garrafa PET.

    Como funciona: Ao retira água da cuba gelada, provocará desequilíbrio entre os dois recipientes, forçando a garrafa PET a fornecer água para a cuba gelada.

    Com isso a bomba liga e completa o nível na PET que fornece água para completar a cuba. Havendo o equilíbrio dos dois recipientes e atingindo o nivel, a bomba desliga.

    Se usar água da cuba natural, a válvula não deixa a água gelada retornar para a garrafa. Caindo o nível da garrafa, a bomba liga e completa novamente a garrafa.

    Dá um pouco de trabalho, mas funcionará.

  • Fábio - 2 Comentários

    Existem vários purificadores com compressor que usam água direto da rede, sem necessidade de garrafões. Alguns modelos usam filtros com prata coloidal, que eliminam a maioria das bactérias.

    Eu tenho um modelo da Latina que poderia ser usado com o seu sistema, a água que sai do filtro pinga em uma cuba central, que possui duas saídas, uma direto pra torneira e a segunda para a serpentina.

    • Jefferson - 6.098 Comentários

      Eu sugeri a minha mãe um desses meses atrás. Inclusive levei-a até a empresa de um cliente e fiz que ela provasse a água do purificador de lá, que para mim é muito boa. Mas não teve jeito. Ela só bebe água em casa se for mineral. E tem que ser Indaiá ou Prata do Vale.

      • Isabel Cristina - 3 Comentários

        Olá Jefferson.
        Acho que sua mãe não está errada… Rs
        Minha preocupação em não usar água da rede vai além de bactérias. De forma que também prefiro a mineral, e me preocupando com a fonte também.
        Só que sou absolutamente contra em realizar esse esforço imenso e abrupto pra conseguirmos virar o galão. Inclusive nem peço ao entregador da loja em que compro, pois acho injusto com qualquer pessoa que não seja alterofilista (e esteja aquecido, antes de suspender o tal galão cheio)!
        Aquele bebedouro da Esmaltec não está mais à venda, não sei por que motivo.
        Como infelizmente não posso dispor do seu equipamento, sabe de alguma novidade no setor?
        Obrigada,
        Isabel

        PS: Gostaria muitíssimo de parabenizá-lo pela iniciativa em promover o bem comum, a princípio na sua casa, e posteriormente partilhando com outras pessoas. :clapping:

  • Jorge Mendonça - 48 Comentários

    Jefferson, vi por acaso um anúncio da eletroshopping e lembrei do seu post. Não sei se você já conseguiu resolver o problema. O bebedouro é do link abaixo:

    http://www.mideadobrasil.com.br/pt/produtos/interna/182/bebedouro-magno-piso-quente-frio-127-v

    • Isabel Cristina - 3 Comentários

      Jorge Mendonça,
      descobri seu post hoje, e parece que infelizmente o produto não está mais disponível.
      Como estou com imenso interesse em adquirir um bebedouro assim, vc poderia me dizer se conheceu algum similar? Nas buscas que fiz ainda não vi.
      Obrigada.

  • Varley - 1 Comentário

    Amigo, vc pode me passar a referência dessa bomba de diafragama? Quanto vc gastou no total para automatizar o bebedouro acima? Vc faria um para me vender?
    Agradeço sua atenção!

  • ANDERSON CARDOSO RODRIGUES - 2 Comentários

    Penso que, quando o garrafão ainda está com menos da metade da sua capacidade, poderia-se usar um dispositivo em que se coloca-se uma mangueirinha d’água vinda de um filtro, rapidamente, sem que entrasse ar no garrafão ( mantendo-se o vácuo ou que ocorresse pouca perda de vácuo) e que, quando a mangueirinha fosse retirada do garrafão a passagem de ar também fosse vedada rapidamente. Obs.: trata-se de uma ideia a ser aprimorada!

  • ANDERSON CARDOSO RODRIGUES - 2 Comentários

    Ou adaptar a mangueirinha do filtro ( Philips: por exemplo ) ao galão ( na parte lateral já quase no fundo ( parte de cima))( lembrando que estou falando do garrafão já no bebedouro ou seja de cabeça para baixo). Retirar o galão do bebedouro e colocá-lo com água pela metade no bebedouro e ir introduzindo água pela mangueirinha do filtro conforme ela for acabando, mas nunca deixar acabar toda a água para não perder o vácuo! O que acha?

  • Raphael Farias - 3 Comentários

    Boa tarde, como posso entrar em contato com vc? Tenho um bebedouro vertical e deu problema neste sensor. Estou querendo substituir, mas antes gostaria de tirar algumas duvidas

Deixe um comentário para Fábio Cancelar resposta

Siga as Regras de Participação, ou seu comentário será ignorado.

Não faça comentários sem relação com os posts. Comente neste post para assuntos genéricos

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">

  

  

  

:) :( ;) O_o B) :lol: :huh: :S :D :-P 8-O :yahoo: :rtfm: :dashhead1: :clapping: more »