Ruminações diversas sobre um ano em reforma na casa

Antes de comprar uma janela de alumínio pronta no armazém, verifique quanto custa instalar uma de vidro temperado

Eu fiquei surpreso ao constatar a diferença brutal na relação custo x benefício. Considerando janelas de 100×150, uma das opções mais vagabundas, da Aluvid (que parece referência em vagabundo-mas-todo-mundo-vende), está saindo por R$400. Uma janela um pouco melhor, da MGM, custa R$639. Ainda assim, vidro fino comum e alumínio fino, com fecho feio e abertura por atrito que está um passo de ficar enganchando.

Cotando todo o material (instalação por sua conta) para uma uma janela de vidro temperado 8mm 100×150, 4 folhas, na Alumiaço de Recife: R$540

Cotando com um vidraceiro aqui do bairro o mesmo kit já instalado (o vidro foi comprado por ele na Sergipe Vidros): R$650

Vidro temperado de 8mm. Somente comparando com isso essas janelas prontas já são lixo. Ainda tem deslizamento suspenso por roldanas, um fecho de qualidade muito superior, alumínio visivelmente mais robusto… A janela instalada me deu uma satisfação que eu nunca teria comprando qualquer dessas janelas prontas. E ainda saiu mais barato!

Optamos por pagar pela janela instalada. Mas note que você não precisa saber de nada sobre a construção da janela para cotar na Alumiaço. Não é preciso saber onde ficam os furos para as roldanas e suas dimensões, não é preciso saber qual o tamanho preciso de cada “folha” de vidro para que haja o encaixe perfeito e a sobreposição mínima… nada! Você diz largura e altura da janela, espessura do vidro e o número de folhas que eles te vendem um kit com todo o material, exceto o silicone.

A insistência em piso cerâmico pode ser paranoia de pobre que quer se sentir fora da pobreza

E no final ser só dinheiro jogado fora.

A varanda no segundo andar tem 50m2. Eu botei na cabeça que ia ser de piso cerâmico e aí o primeiro problema se tornou: qual? Depois de muito ponderar entre os problemas de beleza, resistência, preço, dificuldade para lavar e a probabilidade de me arrepender da aparência depois de ver instalado, optei por um piso branco acetinado com junta de 2mm.

Me arrependi no primeiro dia em que andei sobre o piso instalado. É fácil de lavar, mas escorregadio com apenas água da chuva. O branco é menos propenso a machucar a sensibilidade visual, mas é incrivelmente monótono em 50m2. E eu vou ter que escolher entre ficar vigiando o que as visitas fazem para não arranhar a cerâmica ou desencanar logo e deixar para lá. Tudo isso a um custo de R$60 por m2 só contando a cerâmica e mão de obra, sem argamassa, rejunte, niveladores, etc.

R$3mil por um piso cerâmico e depois ficar pensando que um pedreiro habilidoso faria um piso em puro cimento mais bonito e mais seguro provavelmente a um custo menor. Exemplos não faltam no youtube e Instagram.

Ao fazer o telhado, certifique-se de olhar nas especificações das telhas qual a inclinação mínima

Porque o pedreiro diz que sabe fazer e tem os anos de experiência para você acreditar que ele sabe fazer, mas ele não olha.

50m2 de telhado pesado em madeira de lei com telhas onduladas de fibrocimento de 5mm e o pedreiro não se preocupou em colocar a inclinação mínima determinada pelo fabricante:

“As Telhas Onduladas Brasilit devem ser aplicadas nas coberturas com inclinação a partir de 5 graus (8,7%) para telhas com 6 e 8 mm ou 10 graus (17,6%) para telhas com espessura de 5 mm.”

Como a minha telha é de 5mm a inclinação deveria ser de 10 graus. O pedreiro fez o telhado com uma inclinação, medida com o inclinômetro do meu celular, de apenas 4 graus. Ainda não pegamos a estação de chuvas aqui em Recife, mas se der qualquer problema nas telhas, a garantia não cobre nessas circunstâncias. Para não me estressar ainda mais eu perguntei quanto o pedreiro me cobrava para consertar isso e ele disse que ia ser muito complicado para fazer, porque a estrutura principal de madeira estava amarrada em um dos lados na laje do banheiro.

Só me resta torcer para que com a futura instalação de painéis solares, que vão cobrir boa parte desses 50m2, esse problema seja minimizado.

Você tem que fiscalizar de perto a colocação dos eletrodutos nas lajes e através de colunas

Quanto mais suave a curva de um eletroduto mais fácil é passar os fios. Quanto mais apertada a curva, menos fios você consegue passar realisticamente. E com muito maior dificuldade. Mas o pedreiro não está nem aí. Para ele você nunca vai precisar de mais que três fios em um eletroduto e melhor ainda: não é ele que vai ter que passar esses fios. Eu fiscalizei a danada da passagem dos eletrodutos, desmanchei curvas apertadas desnecessárias que o pedreiro fez antes de concretar a laje e mesmo assim tive problemas em pontos que me passaram despercebidos e nas grandes caixas de distribuição, porque eu não pude acompanhar a concretagem da laje para me certificar de que a suavização das curvas ia ser mantida.

Na laje o isopor não tem função estrutural. Corte à vontade para passar seus eletrodutos

O isopor só está lá para segurar o concreto enquanto ele se solidifica. Depois da cura você pode até remover grandes pedaços dele sem criar qualquer problema estrutural. Então em todos os trechos onde os eletrodutos estiverem passando pelo isopor, sob o concreto, você sempre terá oportunidade de corrigir um problema posterior com certa facilidade por baixo, cavando o isopor para alcançar o eletroduto. Pela mesma razão você não deve passar o eletroduto pelas nervuras, porque elas fazem parte da estrutura e o eletroduto rouba o correspondente volume de concreto por onde ele passar.

Não faça emendas nos eletrodutos sem o material próprio para isso

Uma junção de eletroduto corrugado de 25mm custa apenas R$1 e você vai se amaldiçoar depois se por causa dessa economia o guia ficar enganchando ou o condutor for ferido ao passar pelas pontas vivas, cortantes, das emendas.

O pedreiro geralmente não liga se você vai passar meses tirando pó de móveis e equipamentos. Planeje de acordo.

Você pediu um corte na parede? Um corte na parede é o que o pedreiro vai fazer. Você é que tem que checar se a insana quantidade de pó liberada pela serra não vai ser um problema para limpar depois. Vede tudo, compre lonas para cobrir móveis…

Certifique-se de acertar com o pedreiro de quem é a responsabilidade da limpeza da cerâmica que ele acabou de assentar

É realmente muito frustrante descobrir, depois que os andaimes foram retirados, que o pedreiro acredita que nem a remoção do excesso de rejunte da fachada de porcelanato é responsabilidade dele. Você acha que faz parte da obrigação básica de um prestador de serviços entregar um serviço limpo, principalmente quando requer andaimes para isso? Nem todo prestador de serviço concorda com você.

Forro de gesso requer pintura para ficar realmente bonito, que não está incluída no preço de instalação

Você achou caro o custo da aplicação de 100m2 de forro de gesso mas pensou que pelo menos não vai ter que fazer mais nada depois? O gesseiro não tem pressa nenhuma em dizer a você que o resultado vai precisar ser lixado e pintado depois, para não ficar com manchas mostrando todas as emendas das placas. E o custo de uma pintura “profissional” está ultrajante. Vai encarar pintar e lixar você mesmo? Lembre-se de que é no teto.

Pode ser mais barato e elegante usar um painel de LED embutido como alçapão no gesso

O preço de alçapão de alumínio está absurdo e ainda por cima é um produto feio, com emendas visíveis nas dobras. Este painel LED da AVANT que está por R$65 oferece um alçapão muito mais elegante. Em uma promoção maluca eu consegui comprar 10 unidades a um preço unitário de R$16 com o frete. E quando chegou eu me dei conta de que deveria ter comprado o dobro! A moldura é uma peça única em alumínio resistente e as garras são bem robustas. E com 40×40 eu quase consigo passar meus ombros na diagonal, que tem 52cm. Uma tranquilidade para passar a cabeça e as mãos. Existem painéis ainda maiores, mas pode ser preciso combinar com o gesseiro antes, para você não fazer o corte justamente onde ele colocou uma ou mais ancoragens. No meu caso eu vou usar como luminárias mesmo e assim cada luminária virou um alçapão de manutenção. E não precisei combinar com o gesseiro porque ele teve o juízo de não colocar ancoragens justamente na região abaixo do ponto de luz.

A escolha entre porta de madeira ou alumínio é mais difícil do que parece

Prós da porta de alumínio

  • Mais barata (questionável);
  • Mais bonita (questionável);
  • Mais fácil de instalar. Você mesmo faz isso com ferramentas básicas;
  • Vem completa. O custo da porta já inclui tudo;
  • Imune a cupins e umidade.

Contras da porta de alumínio

  • Abertura e fechamento barulhentos;
  • Frágil. Definitivamente não usaria como porta externa;
  • Reduzido isolamento acústico;
  • Se for usar numa sala com Home Theater, pode vibrar durante um filme estragando a imersão;

O problema do custo é que o preço de uma porta de alumínio “razoável” começa em R$500 aqui em Recife e vem pronta incluindo a fechadura. Para colocar uma porta de madeira você vai precisar do seguinte:

  • A porta, que custa de R$150 num modelo semi-oco a R$600 numa porta sólida (mas se você tem dinheiro não há limite);
  • A grade/moldura, que custa R$300 em madeira respeitável, porque algo que está enterrado na sua parede você não vai querer que seja vulnerável a cupins;
  • Dobradiças, a partir de R$20 para o jogo com três ;
  • Fechadura, a partir de R$60;
  • Mão de obra de instalação, porque não é para qualquer um.

Então, uma porta semi-oca sem instalação já custa o mesmo que a porta de alumínio básica. O problema da instalação é que não é mole para quem não tem a prática. A grade precisa ser enterrada na parede e ficar alinhada corretamente em todos os eixos, senão você vai ter problemas como a porta tender a fechar sozinha ou ficar raspando no piso. A fixação da porta na grade pode exigir a raspagem desta tanto na moldura quando no batente para que haja um fechamento perfeito e ainda tem a colocação da fechadura. É um processo que é simples apenas quando nada dá errado. Eu não sei o quanto me custou a colocação das grades nas paredes porque estava incluído em um pacote, mas eu sei que a mera colocação das fechaduras e fixação da porta nas grades me custou R$100 por porta. Uma instalação completa pode custar facilmente R$200 ou mais.

Mas ainda assim, ignorando o custo, eu preferi colocar portas de madeira na maior parte da casa. Porque depois de viver mais de 20 anos em uma casa onde todas as portas são de alumínio eu estou realmente farto do quanto elas são barulhentas. E nenhuma delas foi semi-oca porque a falta de segurança delas me compele a pagar a diferença de preço para uma porta de segurança sarrafeada, que custa uns R$150 a mais.

Neste ponto é bom esclarecer quais são os diversos tipos de porta.

Porta sólida x porta maciça

Deveria ser a mesma coisa e já foi, mas não é mais. Porta maciça é a porta sólida feita de madeira cortada. A porta sólida é uma porta que pode ser feita de serragem de madeira aglutinada. Após ser apresentado aos dois modelos eu francamente não consegui ver vantagem na porta maciça até mesmo porque esta não pode ser feita lisa para o alcance do meu bolso. Ela é sempre constituída de diversas “almofadas” encaixadas porque o único jeito de você ter uma porta em uma peça só de madeira de lei seria cortando uma árvore com uma circunferência mínima igual à largura da porta. É perfeitamente possível, mas aí o custo de uma porta assim vai para a estratosfera. Já a porta feita de serragem aglutinada pode ser feita em qualquer formato que se queira e tem as faces lisas por natureza, que é o que acho mais bonito. Eu posso pintar ou revestir com as cores e padrões que eu quiser. A porta de 90×210 pesa cerca de 29kg.

A porta de segurança

O que eu me lembrava da última vez que cotei portas 20 anos atrás é que porta de segurança era sinônimo de porta sólida. Pode ter sido, mas definitivamente não é mais. Eu encontrei dois tipos aqui no mercado de Recife:

  • Sarrafeado – Uma espécie de semi-oca que está mais próxima de ter uns 50% de madeira e 50% de espaço vazio.
  • Compensado – É como uma folha de compensado de 30mm de espessura.

Eu acabei comprando a sarrafeada porque achei mais bonita mesmo sem a pintura e suficientemente segura para a minha aplicação. Mas poderia ter facilmente optado pela de compensado. A porta sarrafeada de 70×210 pesa cerca de 24kg.

Note que a diferença de peso da porta sarrafeada para a sólida é pequena (24 e 29kg). Isso pode se dever ao meu método impreciso de medição: a balança da cozinha. Mas realmente ambas parecem igualmente muito pesadas.

12 comentários
  • Jefferson - 6.467 Comentários

    Isto ainda não acabou. Esta lista ainda vai crescer e se eu tiver oportunidade vou acrescentar fotos e vídeos ilustrando os problemas.

  • Claudio - 67 Comentários

    Muito boa essa lista! Tendo feito uma reforma recentemente, posso sugerir mais de memória:

    Eletrodutos: a diferença de preço entre 1/2″ e 3/4″ não é pequena. Resista à tentação de usar 1/2″ em trechos onde vai ter apenas um circuito. No futuro vc vai querer passar mais um cabo e vai sofrer. Onde for passar um número maior, separe em dois eletrodutos para não sobrecarregar (questão de espaço, mas pelo que manda a norma em relação a correntes e aquecimento)

    Quadro de distribuição: calcule o tamanho aproximado que vai ser necessário e compre um quadro com o DOBRO do tamanho ou mais. É sempre melhor ter espaço de sobra para passar os fios de forma organizada e sem apertos. Fora disjuntores, DPS, IDR, etc. vai ter barramento de terra e neutro e isso tudo ocupa muito espaço.

    Ainda auadro de disjuntores: eu gosto de separar os circuitos entre aqueles que eu NUNCA desligo (geladeira, alarme, servidores, etc) e os demais, e ter um disjuntor que eu chamo de “semi-geral” e uso para desligar todos os circuitos supérfluos de uma só vez, por exemplo ao sair de casa por alguns dias.

    Ligação elétrica dos interruptores: deixe sempre um neutro de espera na caixinha, mesmo onde vc não vai instalar uma tomada. Pode não ter uso agora, mas se no futuro vc quiser colocar um interruptor “smart”, vai precisar de neutro (existem alguns que funcionam sem, mas na prática é só incomodação)

    Hidráulica: normalmente a caixa dágua fica na lage e dalí descem as diversas ligações. E normalmente só se tem um registro para fechar a entrada, e outro para a descida junto da caixa (inacessível). Depende muito da planta, mas eu gosto da ideia de ter um fechamento dágua acessível, pelo mesmo motivo do “disjuntor semi-geral”: fechar quando sair por alguns dias, para evitar “surpresas”

    Era isso que eu lembrei agora rapidamente :)

    • Jefferson - 6.467 Comentários

      Resista à tentação de usar 1/2″ em trechos onde vai ter apenas um circuito.

      Eu só uso eletrodutos de 1/2″, a contragosto, onde o *!#$@ do pedreiro deixou de passar o eletroduto pela viga. É mais fácil embutir o de 1/2″ no espaço entre e ferragem e a superfície do reboco.

      Quadro de distribuição: calcule o tamanho aproximado que vai ser necessário e compre um quadro com o DOBRO do tamanho ou mais. É sempre melhor ter espaço de sobra para passar os fios de forma organizada e sem apertos. Fora disjuntores, DPS, IDR, etc. vai ter barramento de terra e neutro e isso tudo ocupa muito espaço.

      Os quadros que estou planejando aqui não são grandes, são obscenos. :lol: Eu vejo o pessoal ensinando em vídeos como esconder os quadros de disjuntores porque acham feio e fico imaginando a briga que vai ser se eu casar com uma mulher assim O_o

      Ainda auadro de disjuntores: eu gosto de separar os circuitos entre aqueles que eu NUNCA desligo (geladeira, alarme, servidores, etc) e os demais, e ter um disjuntor que eu chamo de “semi-geral” e uso para desligar todos os circuitos supérfluos de uma só vez, por exemplo ao sair de casa por alguns dias.

      Aqui já é assim e nem precisa ser para me ausentar por alguns dias. Quando eu saio já desligo todos os circuitos não-essenciais. Até quando vou dormir o disjuntor geral da oficina/escritório é desligado.

      Ligação elétrica dos interruptores: deixe sempre um neutro de espera na caixinha, mesmo onde vc não vai instalar uma tomada. Pode não ter uso agora, mas se no futuro vc quiser colocar um interruptor “smart”, vai precisar de neutro (existem alguns que funcionam sem, mas na prática é só incomodação)

      Eu já tomava essa precaução mas na casa nova eu fui além: no teto, nos pontos de luz, eu deixei o fase presente mesmo não sendo necessário, porque se eu quiser instalar uma luminária de emergência em qualquer lugar do teto isso facilita. Eu não sou fã de luminárias nas paredes.

      Eu ainda não decidi se vou colocar luminárias de emergência individuais ou se vou fazer um sistema centralizado de bateria única, que inclusive me permite implementar soluções mais bonitas com fita de led. Mas o fase presente me permite alternar entre as opções facilmente.

      Hidráulica: normalmente a caixa dágua fica na lage e dalí descem as diversas ligações. E normalmente só se tem um registro para fechar a entrada, e outro para a descida junto da caixa (inacessível). Depende muito da planta, mas eu gosto da ideia de ter um fechamento dágua acessível, pelo mesmo motivo do “disjuntor semi-geral”: fechar quando sair por alguns dias, para evitar “surpresas”

      Nisso o pedreiro que contratamos é mais atencioso. Ainda bem, porque eu não teria atentado para isso. Todos os registros estão acessíveis. Temos um conjunto banheiro/cozinha em cada andar e cada um deles é atendido pelo registro no respectivo banheiro. Além de um registro geral também acessível pelo lado de fora da casa, na escada que dá acesso ao segundo andar (a varanda).

  • Jefferson - 6.467 Comentários

    Ao colocar a caixa d’agua pense em quem e como vai fazer a a manutenção

    Se deixar exclusivamente por conta do pedreiro, fazer a limpeza da caixa pode vir a exigir a contratação de uma equipe de operários especializados em trabalho em altura ou de um guindaste. Certifique-se de que o acesso ao patamar onde está a caixa é fácil e seguro mesmo para uma pessoa que não está em plena forma física e que vai haver espaço ao redor da caixa para remover e acomodar sua tampa e que você vai poder entrar na caixa, se necessário, entre outras coisas. A minha caixa é de dois mil litros e não dá para fazer uma limpeza completa sem entrar nela para escovar as paredes internas. No meu caso espaço não foi um problema porque depois da decisão de fazer um banheiro no segundo andar e que a caixa obviamente teria que ficar acima deste, foi só uma questão de fazer o banheiro com as dimensões adequadas para acomodar a caixa. E o acesso, que ainda não está pronto, deverá ser só uma questão de afastar uma ou duas telhas e colocar uma escada. Nesse mesmo local eu vou instalar o mastro de antena da TV aberta. E esse mesmo acesso vai permitir a manutenção fácil dos painéis solares.

  • Jefferson - 6.467 Comentários

    Tire fotos de tudo o que vai desaparecer

    Especialmente:

    Por onde passam os eletrodutos
    Por onde passam os canos
    Onde estão as colunas

    Melhor ainda fazer um vídeo detalhando em áudio a sua compreensão do que você está mostrando. Meses ou anos depois você não vai lembrar numa foto ou vídeo o que é que você tinha a intenção de mostrar.

    Principalmente no caso de canos, pode ser útil ir filmando enquanto usa uma fita métrica para mostrar as distâncias para as paredes e piso. Se o trajeto não for 100% previsível se baseando na posição de registros e torneiras.

    Isso já me foi útil várias vezes durante a construção e novamente minutos atrás. Eu me dei conta de que o pedreiro instalou o esgotamento para o vaso sanitário numa posição que vai deixar o posicionamento do vaso assimétrico. O pedreiro colocou muito longe do box e muito perto da pia. Como isso é no primeiro andar, olhando as fotos que fiz da tubulação no térreo antes de colocar o gesso eu vi que dá para mover o vaso em direção ao box sem ter que perfurar uma treliça. Além de um novo buraco na laje vou perder apenas uma pedra de cerâmica (63×63) e algumas placas de gesso e ter que refazer algumas conexões de 100 e 40mm. Resta saber o quanto o pedreiro vai me cobrar por isso porque eu tenho razoável certeza de que ele não vai admitir que errou.

    Nesse ponto entra outra recomendação óbvia: fiscalize o trabalho do pedreiro principalmente se assimetria grosseira te causa TOC.

  • Luciano - 465 Comentários

    Coisas que eu aprendi com 4 reformas e 1 construção do zero:

    1) Nunca confie 100% no pedreiro, por melhor que ele seja. Alguma caca ele vai fazer, ou vai fazer totalmente diferente do que você espera por mais obvia que a coisa seja. Mais certo era um falecido amigo, ele colocava um banquinho de madeira no meio do cômodo e ficava vigiando o pedreiro.

    2) Na elétrica, como já falaram, JAMAIS use conduíte de 1/2″. Isso sequer deveria ser permitido vender. Conduíte maiores custa mais caro? Custa, mas daqui 10 anos quando você resolver fazer alguma mudança ou algum upgrade, vai se agradecer muito por ter usado 3/4″ ou maior. Eu fiz isso na minha oficina. Arrependimento zero.

    3) O quadro de distribuição. Você já disse que colocou insanamente grandes, parabéns! Essa foi uma parte que errei enormemente na oficina, calculei mal o tamanho do quadro, e fiquei num dilema, colocar DPS ou o DR? Em face ao meu problema, coloquei DPS. Porem penso seriamente em fazer um quebra-quebra e trocar o quadro por um o dobro ou o TRIPLO maior.

    4) Hidráulica, se possível use tudo da melhor marca que seu dinheiro puder comprar. Eu optei sempre pela Tigre com arrependimento zero. E faça a planta hidráulica, nem que seja pra fazer você mesmo desenhando a mão em folhas de sulfite. Mantenha copia física e digital.

    5) Telhado. Coloque manta térmica. O acréscimo no custo é pequeno em face o conforto térmico e a segurança extra contra pequenos vazamentos em condições de chuva extrema por cauda de queda insuficiente, entupimento de juntas.

    6) Se prepare pra dormir mal, perder cabelos, ganhar cabelos brancos. Quando fizemos a reforma do telhado de casa, por sinal a ultima reforma, acho que perdi uns 5 anos na expectativa de vida, visto a raiva que passei. Imagine o carpinteiro fazer a lista das madeiras que você precisa e discriminar a coisa de uma forma que nem a mãe dinah iria adivinhar como ele pensou. Resultado, metade das madeiras entregues para obra tiveram que ser devolvidas (após muita conversa e acordo) e trocadas o tipo da madeira, tudo porque a anta do marceneiro sequer sabe o que é fazer uma lista! E imagine isso ter que ser feito a toque de caixa, porque ainda a besta não conferiu a entrega da madeira ANTES de desmontar o telhado antigo.

  • Jefferson - 6.467 Comentários

    5) Telhado. Coloque manta térmica. O acréscimo no custo é pequeno em face o conforto térmico e a segurança extra contra pequenos vazamentos em condições de chuva extrema por cauda de queda insuficiente, entupimento de juntas.

    No nosso caso, como é uma varanda aberta e bem ventilada não parece que vá ser necessário. E com a instalação dos painéis solares a temperatura deve cair ainda mais. Mas eu concordo com a recomendação quando a residência é fechada embaixo. O calor do telhado pode ser insuportável.

    E imagine isso ter que ser feito a toque de caixa, porque ainda a besta não conferiu a entrega da madeira ANTES de desmontar o telhado antigo.

    Esse era um dos itens sobre o qual eu estava programado para falar. O pedreiro aqui raramente se planeja e quando chega na hora de fazer um serviço que estava programado há semanas é que ele diz o que é que é preciso comprar. Mesmo estando trabalhando na mesma obra há meses. Muitas vezes ele parece incapaz de sentar para fazer uma lista de material de algo que ele só vai usar na semana que vem. A lista só sai se o serviço estiver parado esperando o material.

    • Luciano - 465 Comentários

      Deixa ver se eu consigo lembrar sem ganhar uma ulcera, como a BESTA fez a lista. E ai você me diz o que entendeu:

      1 peça bla bla
      1 peça blo blo
      1 peca pli pli

      Madeira angelin

      1 peça ble ble
      1 peça blu blu
      1 peca pla pla

      As madeiras internas podem ser eucalipto tratado ou que você quiser

      —————————

      Pois bem, o que você entendeu? E tente imaginar isso escrito em uma folha caderno, com um garrancho digno de médico.

  • Jorge Mendonça - 53 Comentários

    Jefferson, excelente suas observações. Fiz reforma no apartamento há 8 anos atrás e a idéia de filmar e tirar fotos onde passa tubulação de água e conduinte eletrico antes do pedreiro rebocar foi fundamental.

    Eu estou no momento precisando trocar a porta da minha filha que é do tipo semi oca. Você pode informar onde comprou a sua e se você mesmo instalou ou um marceneiro? Já liguei pra uns 3 marceneiros e não estão pegando serviço só de trocar porta.

    • Jefferson - 6.467 Comentários

      As minhas semi-ocas eu comprei na Tupan, mas exclusivamente porque esbarrei numa promoção maluca com elas a R$50. Comprei 18 para usar como bancadas e prateleiras na oficina. E a Tupan entregou. :lol:

      As outras eu comprei na Madecenter Eles não tem preço no site, mas o sistema de solicitação de orçamento deles é bem prático (coloque no carrinho o que você quiser) e em umas 24h eles respondem por e-mail com um orçamento formal em PDF.

      Quem está instalando minhas portas é o próprio pedreiro, mas só porque são portas pesadas. Se fosse uma semi-oca (leve e mais fácil de manipular) eu ia me aventurar a aprender no youtube.

  • Marcelo Neuri Haag - 105 Comentários

    :(

    • Jefferson - 6.467 Comentários

      Eu estava justamente terminando uma postagem quando rolei a página inicial, vi seu comentário e me perguntei “quando o Marcelo escreveu isso?”

      Foi hoje mesmo :lol:

Deixe um comentário

Você pode usar estas tags HTML

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code class="" title="" data-url=""> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong> <pre class="" title="" data-url=""> <span class="" title="" data-url="">

  

  

  

:) :( ;) O_o B) :lol: :huh: :S :D :-P 8-O :yahoo: :rtfm: :dashhead1: :clapping: more »