Downloads

MTK Patcher

Mais informações em:

http://ryan.com.br/smf/index.php?topic=211

389.4 KiB - 16420 Downloads - Detalhes...

493.4 KiB - 15915 Downloads - Detalhes...

376.1 KiB - 614 Downloads - Detalhes...

Meu Software

Keep : Um Monitor de Recursos com Alarme

Autor: Eu mesmo 🙂
Preço: Gratuito (freeware)
Versão Atual:
1.1
Tamanho: cerca de 157KB
Requer: Windows 95, 98 ou ME (não faz sentido usá-lo no NT, 2000 ou XP);
Finalidade: Prever (e ajudar a impedir) travamentos do Windows 9x;

[DOWNLOAD do EXE apenas]

Por favor, não confunda este software com aquela porcaria chamada “Norton CrashGuard”. O princípio de funcionamento deste software é outro e comprovadamente funciona.

Embora a maioria dos usuários não saiba disto, uma das grandes causas de travamento no Windows 9x é o esgotamento dos recursos de sistema (vou chamar apenas de “recursos” daqui em diante). Um travamento que pode ser evitado, se você tiver um meio efetivo de vigiar o uso desses recursos.

  • Limiar de alarme ajustável pelo usuário. O alarme toca se os recursos cairem abaixo do ponto escolhido;
  • O alarme toca tanto no alto-falante interno quanto nas caixas acústicas;
  • Para o alarme que toca nas caixas acústicas, o usuário pode escolher um arquivo WAV ou usar o som embutido;
  • O programa pode ser colocado “sempre visível” para que você aompanhe os indicadores permanentemente enquanto trabalha;
  • Minimiza para a barra de tarefas, ao lado do relógio. Um ícone indica quantos recursos ainda estão disponíveis;
  • Pode ser configurado para iniciar automaticamente com o Windows;

O que são os “recursos”

O termo “recursos” pode fazer você pensar que se trata de memória RAM, espaço em disco, velocidade de processamento, etc. Mas para o Windows, “recursos do sistema” é o nome dado a um pequeno bloco de memória RAM que é reservado para certas tarefas que as aplicações tem que fazer. Esse bloco de memória tem um tamanho fixo e é relativamente pequeno. Não importa se você tem 32MB ou 1GB de RAM, pois a área reservada para os recursos é sempre a mesma. Esta é uma limitação conhecida da arquitetura do Windows 9x (era ainda pior no Windows 3.1) que não existe no Windows NT, 2000 ou XP.

Cada programa que você abre no computador consome recursos. Alguns mais, outros menos. E, dentro de cada programa, certas “tarefas” podem consumir mais recursos do que outras. Cada simples janela que você abre do Internet Explorer, por exemplo, vai consumindo recursos. Então, não faz diferença a quantidade de memória que você tem. Se você abrir simultaneamente um número de aplicações suficiente para esgotar seus recursos, seu sistema vai inevitavelmente travar, mesmo que você esteja com 90% da sua memória RAM livre.

O mal uso dos Recursos

Como se não bastasse o fato de que o consumo de recursos é inevitável. Um programa criado incorretamente pode sofrer do que se chama “vazamento de recursos” (do inglês: Resources Leakage). O programa vai consumindo recursos desnecessariamente até um ponto em que não resta mais nada disponível nem para ele mesmo nem para as outras aplicações que estão rodando. E aí a máquina trava. Isso pode levar minutos, horas ou dias, dependendo da velocidade do “vazamento”. Um vazamento pequeno pode nem ser percebido pelo usuário, porque ele fecha o programa ou desliga a máquina antes que ele se torne um problema.

Geralmente, fechar o programa que está com vazamento é o suficiente para que os recursos que ele consumiu sejam liberados. Mas sem saber que o vazamento está ocorrendo, você não tem como tomar uma ação preventiva.

Eu próprio já escrevi um programa que tinha este tipo de problema. Ele consumia recursos da máquina devagarinho, mas como era um servidor que rodava 24H, ele inevitavelmente travava em no máximo três dias de operação. Enquanto eu não descobria o que estava causando isto, tive que usar uma versão avançada do Keep (que ainda não está disponível on-line) para me avisar, via rede, quando o servidor estava prestes a travar por falta de recursos. Bastava então eu ir até a sala do servidor e reiniciar a aplicação para recuperar os recursos e evitar o travamento. Mais tarde eu descobri (e consertei) que era a minha rotina de impressão que gastava 2% dos recursos GDI sempre que meu programa imprimia algo.

O monitoramento de recursos

Felizmente, é possível ficar de olho nos recursos disponíveis. O próprio Windows 9x vem com uma ferramenta para isto chamada, adivinhe: “Medidor de Recursos”. Ela pode ou não estar disponível no seu menu, dependendo das opções de sua instalação.

A imagem ao lado mostra o medidor de recursos do Windows98SE enquanto estou escrevendo este texto. Ao mesmo tempo, meu computador está comprimindo um filme em Divx com o Nandub e eu ainda tenho o Gordian Knot, o Internet Explorer, o AVP e mais algumas aplicações rodando. Ainda tenho 34% de recursos livres, mas já está na hora de ficar de olho neles.

Você a esta altura já pode estar se perguntando: “Ué… se o próprio Windows já vem com um programa, para que eu preciso do Keep?”

O problema que me fez criar o Keep para o meu uso pessoal é que o programa do Windows tem uma falha que a meu ver é grave: Não avisa você que os recursos estão caindo. Ele fica lá aberto, parado… esperando silenciosamente que os recursos acabem e o sistema inteiro precise de um Reset. Ou você fica o tempo todo de olho nos recursos, ou seu sistema vai para o beleléu do mesmo jeito.

É aí que entra o Keep!

Keep monitora os recursos da mesma forma que o programa oficial da MS, mas existe um “limiar de alarme” ajustável que se for ultrapassado dispara um processo de alarme no computador. O ícone do Keep na barra de tarefas começa a piscar e um alarme sonoro toca simultaneamente no alto-falante interno e pelas caixas de som do computador. Ajustando um limiar suficientemente alto você terá tempo suficiente de tomar medidas que evitem o travamento iminente (fechar aplicações para liberar recursos) ou evitem que você perca o que está fazendo (dá tempo de clicar no botão de Salvar).

Perguntas e Respostas

Keep não roda. Acusa problema com uma DLL qualquer.

O problema é a ausência de rsrc32.dll e rsrc16.dll. Você precisa ter esses dois arquivos no seu diretório Windows\System para que Keep funcione. Eles são instalados quando você opta por instalar o medidor de recursos do Windows.

O que eu faço quando o alarme começar a tocar.

Feche algum programa. Começe, claro, pelos programas menos importantes, que você não está usando no momento.

Por que Keep mostra apenas dois indicadores, quando o Monitor de Recursos do Windows mostra três?

Se você prestar atenção, verá que o primeiro indicador (Recursos do Sistema) é sempre igual ao menor dos outros dois. Recursos do Sistema não é um tipo de recurso distinto dos outros dois. Eu achei isso redundante, por isso coloco apenas uma indicação numérica mostrando o valor menor.

Por que Keep toca um alarme tanto no alto-falante interno quanto nas caixas acústicas? Não basta deixar tocando nas caixas acústicas?

De forma alguma.

1)Nem todos os computadores tem placa de som. Mas praticamente todos tem alto falante interno;

2)Você pode baixar o volume das caixas de som até o zero ou mesmo retirar/desligar as caixas acústicas, anulando a eficiência do alarme que depende delas. Mas na grande maioria dos computadores não é possível fazer isso com o alto-falante interno. Eu posso ter uma razoável certeza de que se eu mandar ele bipar, vai sair um bip.

Ué. Então por que não deixa tocando só pelo alto-falante interno?

Eu adoraria. Mas infelizmente em muitos computadores o som do alto-falante interno é tímido demais e pode não ser ouvido a tempo em um ambiente de trabalho ruidoso ou se você estiver ouvindo um rádio. Em outros computadores (raros, mas existem) o som destinado ao alto-falante interno é redirecionado para a placa de som. Isso é vantajoso por um lado, mas problemático por outro: o som do alto-falante interno pode ser desligado.

A redundância, como vê, é necessária.

Tá. Mas por que além dessa cacofonia toda você ainda colocou o ícone para piscar? Não tá muito “drag queen” isso aí?

Experimente tentar descobrir, quando o alarme tocar, de onde raios ele vem sem ter ajuda 🙂

Com um limiar de alarme convenientemente ajustado, é possível que você use o Keep por dias ou semanas sem nunca ouvir um alarme dele. Pode ser que no dia que o alarme tocar você não faça a menor idéia do que está acontecendo. Isso é especialmente verdade se a pessoa que estiver usando o computador no momento não for quem instalou o Keep.

Por que “Keep”?

Porque escolher bons nomes para programas é uma arte que eu não domino 🙂
“Keep” vem da frase “Keep an eye at my resources” (Fique de olho nos meus recursos). Como “Fique” me pareceu ainda pior que “Keep”, este último ganhou. Pelo menos tem uma pronúncia bonitinha :).

Minha outra opção foi MonRecal, que embora seja descritivo (vem de Monitor de Recursos com Alarme) não me pareceu muito simpático. Parece até nome de remédio 🙂

17/12/12: Eu tomei essa decisão em 2003. Hoje eu teria optado por MonRecal. Nomes menos genéricos levam grande vantagem nas buscas no Google.

Instruções de instalação:

O programa não precisa ser instalado. Nada é alterado no registro (com exceção da diretiva que o inicia automaticamente, se você optar por isso) e nenhum arquivo é criado a não ser o INI. Apagar o executável e o .INI remove completamente o programa do seu computador.

Keep tem como padrão um limiar de alarme em 30%. Você pode mudar isto livremente e Keep lembrará o que você ajustou.

Para testar o alarme, basta mover o limiar para um ponto acima dos recursos que você tem no momento. Baixe o limiar e o alarme pára de tocar.

Histórico

Versão 1.1 – 05/2003

  • Keep agora mostra o estado dos recursos na systray mesmo durante um alarme;

Versão 1.0 – 04/2003

  • Primeira versão disponível online

Problemas conhecidos

Nenhum até agora 🙂

Meu Software

SetDate

Autor: Eu mesmo 🙂
Preço: Gratuito (freeware) – inclusive para fins comerciais!
Versão Atual:
0.4 beta
Tamanho: cerca de 165KB
Requer: Windows 9X/2K/XP
Finalidade: Ajustar a data e hora de qualquer arquivo

[DOWNLOAD]

A imagem abaixo é da versão 0.3 e não mostra exatamente como se parece a versão atual.

SetDate é um utilitário muito simples. Sua função exclusiva é alterar a data e hora de um ou mais arquivos. Isso pode ser útil em certos casos e o Windows não disponibiliza esse recurso.

O programa lembra o último arquivo e a última data utilizados.

Histórico

Versão 0.4 (18/09/2008)

Agora também é possível especificar uma hora

Versão 0.3

Primeira versão pública

Instruções de instalação

O programa não precisa ser instalado. Nada é alterado no registro e nenhum arquivo é criado criado a não ser o INI, no mesmo diretório. Apagar o executável e o INI criado por ele remove completamente o programa do seu computador.

Problemas conhecidos

Nenhum até agora 🙂

Você pode comentar sobre este programa no blog ou aqui mesmo.

Meu Software

DIZINFO

Autor: Eu mesmo 🙂
Preço: Gratuito (freeware) – inclusive para fins comerciais!
Versão Atual:
1.0
Tamanho: cerca de 141KB
Requer: Windows 9X
Finalidade: Visualizar corretamente arquivos com arte ASCII. Geralmente arquivos com extensão NFO ou DIZ.

[DOWNLOAD]

Você possivelmente já se deparou com arte ASCII, mesmo que não soubesse que o nome era esse.Geralmente está presente em arquivos NFO (predominantemente) ou DIZ de programas que você baixa da Internet. Estes arquivos são difíceis de se visualizar com visualizadores comuns como o Bloco de Notas, mas DIZINFO tenta mostrá-los como realmente são.

Visto com o Bloco De Notas
Visto com o DIZINFO

Recursos do DIZINFO:

  • Permite associar-se a arquivos NFO e DIZ. Com isso, basta clicar duas vezes nesses arquivos para abri-los diretamente no DIZINFO;
  • Tem suporte a arrastar e soltar. Arraste um arquivo com arte ASCII para a janela de DIZINFO que ele abrirá o arquivo;

Instruções de instalação:

O programa não precisa ser instalado. Nada é alterado no registro e nenhum arquivo é criado. Apagar o executável remove completamente o programa do seu computador.

Modo de Usar

Usa-se da mesma forma que você usa o Bloco de Notas. Na verdade, é até mais simples.

Histórico

Versão 1.0 – 04/2003

  • Primeira versão disponível online

Problemas conhecidos

Nenhum até agora 🙂

Meu Software

Ruler

Autor: Eu mesmo 🙂
Preço: Gratuito (freeware) – inclusive para fins comerciais!
Versão Atual:
1.1
Tamanho: cerca de 144KB
Requer: Windows 9X/2K/XP/Vista/Seven
Finalidade: Medir o tamanho de elementos na tela, em pixels.

Detalhe de Ruler, exibindo as coordenadas do mouse.

O que Ruler faz por você:

  • Muda de régua horizontal para régua vertical com um duplo clique;
  • Mostra as coordenadas atuais do mouse;
  • Permite a escolha da cor da régua e da escala;
  • Pode ser definida a propriedade “sempre visível”;

Ruler é um programa muito simples e não há muito o que dizer dele, mas se você precisar dele, provavelmente vai gostar de tê-lo ao seu alcance.

Instruções de instalação:

O programa não precisa ser instalado. Nada é alterado no registro e nenhum arquivo é criado a não ser o INI, no mesmo diretório. Apagar o executável e o INI criado por ele remove completamente o programa do seu computador.

Modo de Usar

Clique duas vezes para mudar a orientação da régua.

Clique com o botão direito para exibir o menu de opções;

Histórico

Versão 1.0 – 04/2003

  • Primeira versão disponível online

Versão 1.1 – 04/2010

  • Agora existe a opção de inverter onde começa a medição.

Problemas conhecidos

A inversão da medição tem pouca ou nenhuma utilidade quando a régua está disposta na vertical, porque o programa reajusta sua posição automaticamente. Ainda não sei como contornar isso.

Download

160.2 KiB - 60 Downloads - Detalhes...

Meu Software

Background Explorer

Autor: Eu mesmo 🙂
Preço: Gratuito
Tamanho: 1.7MB (programa + todas as DLLs necessárias)
Requer: Windows 9X
Finalidade: Ajudar na escolha de imagens de background (papel de parede, páginas web, etc)

Nota (30/07/2002): Embora este programa esteja funcionando o seu desenvolvimento (correção de bugs e aperfeiçoamentos) está encerrado. Se houver interesse suficiente, poderei continuá-lo; mas isso irá exigir que eu reinicie o projeto do zero, desta vez em Delphi (em Visual Basic é muito complicado).

Novidade na versão 1.03 (03/1999)

Finalmente consegui implementar uma rotina de “tile” que funcionasse para o papel de parede do desktop. BE agora é realmente capaz de substituir o papel de parede sozinho.

Nota: eu uso o termo “background” no texto com o mesmo significado de “papel de parede”.

“Background Explorer” (daqui para a frente chamarei de “BE”) foi um programa que eu desenvolvi em VB depois de procurar muito por um programa que me ajudasse a escolher figuras para o background de minhas páginas HTML e não encontrar nenhum satisfatório. Todos eram ou muito limitados ou muito complicados, requerendo vários passos para visualizar cada imagem.

No princípio minha intenção era criar um programa que de uma forma descomplicada me permitisse ver como qualquer figura ficaria como papel de parede em uma página, depois que o browser aplicasse o lado-a-lado (tile). O programa precisaria ser rápido e me permitir olhar todas as figuras em uma pasta movendo apenas um dedo.

Mas muitas vezes eu estou olhando o conteúdo de um CD ROM selecionando entre as milhares de imagens, as que mais provavelmente eu usaria. Pensei então em adicionar ao BE a capacidade de ao encontrar uma figura interessante, copiá-la ou movê-la para uma pasta de figuras selecionadas.

Eu também pensei que poderia ser interessante colocar um texto flutuando sobre a imagem para ver como ficaria o contraste, porque algumas figuras apesar de ficarem lindíssimas como background tornam qualquer texto ilegível.

A versão 1.0 beta1 de BE tem essas características e ainda é capaz de:

  • Ler, além dos tradicionais GIF e JPG, arquivos nos formatos BMP, WMF e ICO;
  • Instalar a figura selecionada como papel de parede do Windows;

A Visualização do Tile

Tomemos como exemplo a figura abaixo (o contorno verde é apenas para destacar):

Um profissional poderia perceber imediatamente como ela ficaria depois do tile, mas se você é como eu, é melhor deixar a imaginação descansar e usar o BE:

O texto “Background Explorer” é o texto flutuante de que falei acima. Dá para perceber que esse background permite uma ótima legibilidade.

O retângulo interno mostra uma cópia da imagem original, para permitir ao curioso ver qual é a imagem responsável pelo background. Acrescentei essa característica depois de ficar curioso para saber como certos backgrounds muito bonitos eram formados. Estudar isso pode ser útil se você quiser aprender a criar seus próprios backgrounds mas eu deixei uma opção que desliga a exibição dessa caixa.

Na barra de status (parte inferior da janela) BE exibe o nome do arquivo, seu tamanho em bytes e seu tamanho em pixeis.

Selecionando, copiando e movendo

Para a seleção dos arquivos, optei por criar uma janela própria, apresentada abaixo:

O funcionamento é muito simples: você chega até a pasta onde estão as imagens usando as caixas da esquerda e depois escolhe as imagens que quer ver na caixa da direita. Se quiser ver todas as imagens em sequência é só ficar apertando a seta “para baixo” no teclado.

Clicando com o botão direito em um nome de arquivo, você pode fazer duas coisas:

Copiar Figura – A figura correspondente é copiada para o clipboard. Você pode colá-la em seu editor grafico favorito.

Copiar Caminho – O caminho completo do arquivo, incluindo seu nome, é copiado para o clipboard.

Ao clicar no botão “Avançado”, a caixa de seleção se expande para mostrar as opções de cópia e movimentação:

Ao clicar nos botões “Redefinir Destino1” e “Redefinir Destino 2” você determina que a pasta atual é a pasta selecionada para aquele destino (1 ou 2). Você poderia, por exemplo, criar uma pasta “selecionadas” atribuindo-a ao Destino 1 e “rejeitadas” atribuindo-a ao Destino 2. Ao ver uma figura interessante, bastaria clicar em “Mover para Destino 1” para mandá-la para a pasta “selecionadas”.

Se você clicar em “Tipo de Operação – Copiar” o texto e as funções dos botões mudam e ao clicar nos botões de destino a figura será copiada e não movida.

Para os esquecidos, incluí uma função que permite saber para que pasta cada destino está programado. Basta parar o ponteiro do mouse por um breve instante sobre o botão desejado (sem clicar):

Se até agora eu não consegui fazê-lo se interessar pelo meu programa, então ele realmente não tem utilidade para você. Mas se desde a primeiro figura ele despertou o seu interesse, faça o download dele: é grátis. Não estou cobrando nada por ele.

O que está planejado para uma futura versão do BE

Esta é uma lista de coisas que o BE pode ou não pode vir a fazer. Depende de meu tempo, de meu conhecimento e do fato de que quanto mais características, mais o programa tende a ser gordo e complicado de usar:

  • Um ícone próprio. O BE está usando ainda o ícone padrão do VB porque me falta a criatividade para ciar um ícone simpático para ele;
  • Mais destinos possíveis, com quantidade definida pelo usuário para não entulhar a interface;
  • A capacidade de gerenciar (criar/excluir/renomear) arquivos e pastas diretamente na caixa de seleção.
  • O usuário deverá ser capaz de escolher o texto que ficará flutuando para o teste de contraste, bem como a sua cor. Se possível o programa irá ser capaz de ler/renderizar HTML (isso pode deixar o programa MUITO gordo);
  • Fazer com que o programa “lembre” as escolhas feitas pelo usuário. No momento, quando você fecha o programa os destinos são esquecidos.
Meu Software

Melhorando o Autorun : Autorun Extender

Autor: Eu mesmo 🙂
Preço: Gratuito (freeware) inclusive para fins comerciais!
Versão Atual:
1.0
Tamanho: 336KB
Requer: Windows 9X e Windows XP (segundo um visitante que testou)
Finalidade: Estender as capacidades do sistema de Autorun do Windows 9X, como descrito no meu texto Melhorando o Autorun

[DOWNLOAD][Lista dos meus softwares]

Leituras Recomendadas:

Como usar:

No Autorun.inf:

[AUTORUN]
open=autorun.exe <nome do arquivo>

Se, por exemplo, você quer abrir automaticamente um filme chamado matrix.avi:

[AUTORUN]
open=autorun.exe matrix.avi

Neste exemplo ambos, autorun.exe e matrix.avi, precisam estar na raiz do CD. Mas você pode usar as instruções que forneço em Entenda e Construa Arquivos AUTORUN para fazer alterações na localização dos arquivos.

Se o Autorun Extender for executado sem parâmetros, abrirá a janela apresentada acima. Se for usado com um arquivo existente como parâmetro, sua “cara” nunca aparecerá.

Instruções de instalação:

O programa não precisa ser instalado. Nada é alterado no registro e nenhum arquivo é criado. Apagar o executável remove completamente o programa do seu computador.

Histórico

Versão 1.0 – 03/2002

  • Primeira versão disponível online

Problemas conhecidos

Nenhum até agora 🙂

20/09/2002: Um usuário relatou que o AutoRUN Extender funciona sem problemas sob Windows 2000

Versão Beta2

[DOWNLOAD da versão Beta2]

Nesta versão eu acrescentei suporte a rodar mais de um programa ao mesmo tempo.

Para que isso funcione, você deve colocar os nomes dos programas em um arquivo com extensão .lae (de Lista Autorun Extender) como o exemplo:

c:\windows\calc.exe
c:\windows\notepad.exe
planilha.xls

E usar esse arquivo .lae como parâmetro do Autorun Extender, assim (supondo que o nome do arquivo que você definiu seja teste.lae):

[AUTORUN]
open=AutorunBeta2.exe teste.lae

Problemas conhecidos

Se você estiver tentando usar arquivos executáveis nas linhas de teste.lae e quiser usar parâmetros para estes, pode ser que não funcione.