DivX Players

DVD/DivX/MPEG4 Player – Philips DVP642K/78 (DVP642)


[Inglês] You can find a english version of a very small part of this page here.

[Índice do Site] [Portal DVD/DivX]

Review publicado em 14/09/2004 e atualizado quando dá 🙂

Se você está com uma cópia impressa, visite http://ryan.com.br/prod_dvp642.htm para ver se há algo novo.

Sua primeira vez nesta página? Eu recomendo que você clique aqui para pular o histórico e ler o conteúdo completo da página antes. O histórico deve ser lido apenas depois, mas deve ser lido, por conter fatos importantes.

Outras páginas que devem ser lidas, mesmo que pareçam não ter nada a ver com sua dúvida:

Histórico/LOG da página – A ordem correta de leitura é de baixo para cima!

[19/03/05 – FIXO] Você tem um DVP642 com defeito e não sabe o que fazer com ele? Eu compro!

  • 15/09/05 – Estoque gigantesco ou o que? – Três meses após seu desaparecimento do mercado brasileiro, o DVP642 ainda está à venda, com pronta entrega, na amazon.com. Some-se a isso o fato de que o DVP5100 não é vendido para o mercado americano (só existem modelos para Europa, Ásia e America Latina) e estou começando a imaginar que a Philips apenas dividiu os mercados. Mas isso é só especulação;
  • 13/09/05 – Philips DVP5100! – Comprei um aparelho e iniciei meu review. Ainda falta muito, mas já tem algums coisas interessantes;
  • 14/08/05 – Eu me rendo! – Pois é… infelizmente eu estava enganado. A Philips realmente cancelou a produção de um de seus aparelhos de maior sucesso. Não conheço nenhum outro aparelho da marca que tenha conseguido alcançar tanta popularidade.
  • 14/08/05 – Mudanças na organização da página. Finalmente decidi desmembrar esta página em várias. Isso tem vantagenjs e desvantagens de ambos os lados. No que me diz respeito, a pior desvantagem é que vão aumentar os e-mails fazendo perguntas que já foram respondidas. Outro problema é que muitos links ficarão temporária ou permanentemente quebrados;
  • 06/06/05 – Está havendo uma falta generalizada de DVP642 no mercado e algumas pessoas estão atribuindo isso à saída de linha do aparelho e sua substituição pelo DVP5100. Eu não acredito nisso por três motivos: 1)O DVP5100 também desapareceu do mercado 2)O mais conhecido vendedor mundial desse aparelho, a Amazon.com, ainda o tem em estoque e não há notícia no exterior a respeito de sua descontinuidade 3)O DVP5100, na minha opinião, não é o sucessor do DVP642. Eu acredito mesmo é que esteja havendo um problema de logística com o principal importador do aparelho (ou você acha que cada loja compra direto da China?). Pode ter falido, foi preso, está com um contâiner apreendido, seu canal foi fechado, etc. A situação deverá se normalizar em algumas semanas. Talvez o preço aumente, mas faltar, não vai. Pelo menos é nisso que acredito;
  • 06/06/05 – Existe um movimentado e esclarecedor fórum de usuários do Pioneer 578A-S aqui. Nele é revelado o motivo da propaganda do Pioneer não dizer que ele reproduz divx (do jeito que sai da fábrica não reproduz mesmo) e os usuários discutem como fazer com que o player reproduza;
  • 06/06/05 – O LG DK9923N já pode ser encontrado em Recife na loja Insinuante do Shopping Center Recife;
  • 06/06/05 – Testei O GOTEC 5990 e não gostei;
  • 06/06/05 – Finalmente, encontrei a causa do “system menu 2X“;
  • 03/06/05 – A Leadership está distribuindo pelas lojas de informática do país o novo DivX player GOTEC 5990. Por enquanto o grande diferencial dele está no fato de possuir, além de leitor de cartões de memória, uma porta USB. Isso teoricamente permitiria a conexão de um HD externo montado em uma gaveta USB. Eu pretendo testar isso em breve, porque o aparelho está em exposição na Infobox do Shopping Center Recife.
  • 03/06/05 – A LG lançou no Brasil um novo player com DivX, o DK-9923N, antes mesmo de resolver os problemas de legendas do DK-8321N. Você já pode ver um review dele em andamento (não é meu) aqui. Primeira difereça conhecida: O problema do “ú” foi corrigido (dãaaa…);
  • 03/06/05 – No exterior, algumas pessoas já compraram o DVP642 com a nova versão 1223 do firmware. Ainda não se sabe o que essa versão muda e ainda não há nada disponível para download;
  • 03/06 – Devido ao ataque de um maldito spammer, que há três semanas está sobrecarregando meu serviço de e-mail com mais de 500 mensagens diárias (MORRA, SEU FDP!) quase todas as mensagens enviadas para @ryan.com.br nesse período foram extraviadas (nem eu recebi, nem o remetente recebeu uma mensagem de erro).
  • 14/05/05 – Notas sobre a qualidade de reprodução de DVDs;
  • 14/05/05 – A Philips removeu o firmware oficial do DVP642/37 (versão americana) do seu site. Isso indica que vem aí uma atualização do firmware oficial;
  • 14/05/05 – Notas sobre o limite de 2GB para arquivos individuais;
  • 11/05/05 – Mais informações sobre o DVP5100
  • 30/04/05 – Um novo modelo de player DivX Philips! O DVP5100K/78 já está à venda no Brasil e eu consegui reunir uns poucos dados sobre ele
  • 25/03/05 Nas próximas três semanas eu não irei mais fazer atualizações no site, nem responder e-mails, excetuando apenas ofertas de aparelhos defeituosos para venda.
  • 25/03/05 – Dois exemplos que recebi de aparelhos “E” mostram que eles são aparentemente idênticos aos aparelhos “M”.
  • 25/03/05 – Alguns indivíduos insistem em usar indevidamente meus e-mails reservados, apesar dos meus claros avisos para que não se faça isso, junto a cada um. Isso me deixa muito aborrecido e quero avisar que acredito que quem faz isso não merece resposta por: a)Ser incapaz de seguir instruções e b)Não prestar atenção ao que lê. Ajudar uma pessoa assim é, para mim, um exercício inútil;
  • 20/03/05 – Como retirar um disco preso dentro de um aparelho morto ou desligado, sem precisar abrir.
  • 20/03/05 – Como identificar as CPUs M e S (mesmo mortas) olhando os chips de firmware.
  • 20/03/05 – A diferença entre os loaders M e S, com fotos!
  • 19/03/05 – Vários vendedores estão colocando links para o meu site em seus anúncios do DVP642. Eu não vejo problema algum nisso, desde que você tenha em mente que eu não tenho nada a ver com eles! O único vendedor que recomendo é a FIORES!
  • 19/03/05 – Ruy Leal e Marcos Reis aderem à vaquinha. Caludir Rubbo também entra oficialmente. Por enquanto, somos seis.
  • 09/03/05 – Novo DVD player DivX no mercado – O Gradiente D-680 está à venda nas Americanas por R$ 499. O manual não esclarece muita coisa e a julgar pelas imagens da tela o chipset é diferente de todos os que já conheço. A única coisa que ficou evidente no manual é que suporta tags ID3 e mais formatos de legenda, mas trunca nomes longos.
  • 09/03/05 – A diferença entre as versões “M” e “S” pode estar nos loaders. Um desconhecido baseou-se na minha descoberta e arriscou justamente o que eu recomendei que não fosse feito, renomeando os arquivos de firmware (carregou um firmware “S” em um player “M”). Como resultado o seu player ficou com o loader inoperante e incapaz de carregar outro firmware;
  • 08/03 /05- Fabricio Egert e Newton Junior aderem à vaquinha. Temos também a possibilidade de contar com Rodrigo Brandão e Claudir Rubbo;
  • 07/03/05 – Graças às fotos enviadas por Marcio Antao, pude fazer uma lista dos chips usados nas placas “M” e fazer uma comparação com minha placa “S”.
  • 07/03/05 – Nilson do Paraná aderiu à nossa “vaquinha”. Agora somos três 🙂
  • 07/03/05 – Eu criei um “mapa clicável” sobre a foto da CPU dvpxxDV que descreve cada um dos chips mais importantes.
  • 07/03/05 – Saiu a versão 2.0 do firmware Bruno! Agora, com três fontes diferentes e uma versão baseada no Firmware 1109! Vale a pena conferir!
  • 06/03/05 – Atenção proprietários de players do tipo “E” interessados em um firmware 0531 com fontes grandes. leiam isto aqui!
  • 05/03/05 – Foi confirmado por vários relatos (não testei pessoalmente), que apesar do DVP642 suportar multisessão em mídias regraváveis, não tem o mesmo sucesso com mídias -R (ou +R)
  • 05/03/05 – Há pelo menos uma semana está à venda no Mercado Livre o player DivX JTEC MTK7000. Tem tudo para ser uma roubada, já que o preço não é tão atraente assim, não existem informações sobre ele e Fabiano, do Paraná, me mandou um e-mail dizendo que comprou um e não conseguiu colocar legendas DivX para funcionar de jeito nenhum
  • 05/03/05 – Pelo menos três técnicos já se habilitaram a fazer o conserto do firmware em três pontos do país, com preços que variam de R$20 a R$ 50,00. Aguardem!
  • 05/03/05 – Giovanni Dioro e Sergio Mesquita me mandaram e-mail esclarecendo a numeração esquisita do novo firmware Philips. Na verdade, nunca foi uma sequência. Todos os números dos firmwares são datas no formato mmdd. Então “1109” significa “nove de novembro”. Faz sentido, mas acho que foi algum estagiário que bolou esse esquema 🙂
  • 27/02/05 – Revelação Bombástica! – Por que o firmware 1109 tem três arquivos enquanto o 0531 tem apenas dois? Por que alguns aparelhos, mesmo tendo o firmware 0531 original, não conseguem instalar o firmware 0531? Eu acredito ter encontrado a resposta para estas e outras perguntas!
  • 27/02/05 – Não desista do seu DVP642 ainda! – Eu e Bruno estamos contatando técnicos eletrônicos habilitados a fazer a reprogramação direta do firmware. Se você é uma das pessoas que ficou com o aparelho inoperante por causa de uma aplicação desastrada, aguarde notícias!
  • 26/02/05 – Danger, Will Robinson! – Fui conferir uma dica de Valério Ribeiro e tenho uma notícia boa e uma notícia ruim. A boa é que é mais fácil do que eu imaginava gravar um CD de firmware. A ruim é que é ainda mais perigoso deixar um CD com o fimware “de bobeira”
  • 26/02/05 – Continuam pipocando os relatos de pessoas que deixaram o CD de firmware dando sopa para um desavisado inutilizar o dvd player abortando o processo de atualização. Destrua ou apague o CD de firmware após o uso!
  • 26/02/05 – Fabricio Egert me passou uma interessante dica de como ter uma idéia da data de fabricação de seu DVP642: Abra o compartimento de pilhas do controle remoto e olhe a etiqueta na parte interna da tampa. Lá existe uma data no formato aa/mm/dd que, embora seja a data de fabricação do controle, pode dar uma ótima pista da época em que o aparelho foi produzido.
  • 26/02/05 – Estão vendendo cópias do firmware modificado! – Apareceu um indivíduo que teve a cara de pau de vender por R$ 19,99 o que pode ser obtido de graça por qualquer um. Aparentemente, é justamente o firmware Bruno 1.1 que ele está vendendo, mas não há como ter certeza.
  • 26/02/05 – Vem aí uma nova versão oficial do firmware! – Javier Perez divulgou ontem a informação de que uma nova versão do firmware do DVP630/00 foi lançada em 23/02 e pode ser encontrada aqui. O número de versão (0112) é muito estranho por não estar em sequência com os outros, mas como os firmwares de todos os DVP630 e DVP642 são sincronizados, devemos esperar para esta ou a próxima semana um novo firmware específico para o DVP642K/78, ainda que alguém na Philips descubra que é ruim de digitação e o firmware reapareça como 1112 😉
  • 21/02/05 – Se você quiser testar a compatibilidade do seu aparelho com o container MP4, pode baixar o MP4 Test CD, (é discutido aqui) criado por um dos moderadores de DOOM9.org. Eu estou usando uma versão adaptada por mim para testar o DVP642, porque o hábito que ele tem de saltar os arquivos que não consegue ler atrapalha muito a interpretação dos testes.
  • 21/02/05 – Surge uma nova ferramenta gratuita para competir com o Auto Gordian Knot: O DVX promete ser um grande programa, mas ainda não pude testá-lo porque ele é muito chato para instalar. Requer um monte de programas de terceiros (todos gratuitos) que não vem com o instalador oficial.
  • 20/02/05 – Problema: Aos 13 segundos de “The Last Man Standing”, inicia um som grave que é reproduzido com distorção pelo DVP642 (o subwoofer fica “raspando” e isso ocorre usando ou não saídas digitais). Eu achei que era um problema na configuração do meu Home Theater, mas ao testar o Samsung P240K nas mesmas condições, não houve ruído algum!
  • 19/02/05 – Finalmente, meu colega Jaaziel me emprestou o P240K dele! O meu review está em andamento mas, se você for do tipo curioso ou impaciente, pode acompanhar meus testes.
  • 19/02/05 – Está crescendo o número de usuários que dizem não conseguir fazer o downgrade da versão 1109 para a 0531. Até agora, eu contei três brasileiros. Aparentemente, os aparelhos bloqueados já estão aparecendo no nosso mercado.
  • 19/02/05 – Notas sobre filmes com áudio de baixa qualidade
  • 19/02/05 – Ontem, recebi o segundo relato de alguém que inutilizou seu aparelho porque o processo de atualização do firmware foi abortado por pessoas que colocaram o CD no drive sem saber do que se tratava! Eu já avisei para não deixar o CD de firmware de bobeira!
  • 13/02/05 – Atendendo a um pedido meu (obrigado!) David Santos me mandou um monte de . fotos do aparelho e da tela do LG DK8321N.Vale a pena conferir!
  • 10/02/05 – João Carlos Mendes Luís (Jonny) explicou que eu fiz uma confusão danada com o funcionamento da TV Philips 5642 com relação ao overscan. Eu confundi o recurso 4:3 Expand com o 16:9 compress e, de qualquer forma, ele tem uma TV dessas e explicou que o 16:9 compress não serve para reduzir o efeito do overscan. Por isso eu removi minha referência a essa TV do meu texto.
  • 09/02/05 – Novo texto acessório: Experiências com DivX Media Format
  • 09/02/05 – Novidades sobre o P240K
  • 08/02/05 – Nova página: Exemplos de DivX na TV Widescreen com o DVP642!
  • 07/02/05 – Entenda o comportamento do botão DISC MENU
  • 07/02/05 – Entenda a suposta compatibilidade do DVP642 com GMC DivX;
  • 07/02/05 – Novo texto acessório: O que é “melhor”?
  • 07/02/05 – Novo problema com legendas externas (se bem que esteve debaixo do meu nariz esse tempo todo).
  • 07/02/05 – O problema das legendas do P240K foi resolvido! – Graças a Guilherme Siepmann e a Valter Soares, agora temos imagens da tela, após a atualização!
  • 07/02/05 – Finalmente coloquei no ar a cópia em inglês do tutorial do Virtualdub, gentilmente traduzida por Giovanni Dioro.
  • 04/02/05 – Fiquem ligados: depois da inércia inicial, a Samsung pode ter tornado o P240K uma opção decente até para quem gosta de filmes legendados.
  • 04/02/05 – A SAMSUNG finalmente “tirou o dela da reta”, colocando no ar a primeira atualização de firmware para o Samsung P240K. Supostamente, para resolver o problema das legendas.
  • 30/01/05 – Se ao ligar seu DVP642 à TV via cabo S-Video você só consegue uma imagem em preto e branco, você esqueceu de ajustar a saída do DVP642 para “S-Video” (Menu System). O normal dele é “YPbPr”.
  • 30/01/05 – Para responder à questão de um visitante, que disse que no Pioneer dele as legendas DVD desaparecem quando se dá um ZOOM (bug ridículo), eu fiz um teste e o DVP642 passou: as legendas permanecem na tela, não importando o ZOOM.
  • 30/01/05 – Para responder à questão de um visitante, que apontou uma inconsistência no manual original, fiz um teste e comprovei que o DVP642 é compatível com MP3 CBR de 320K e VBR de 325K. O manual cita apenas 256K e não diz se é CBR ou VBR.
  • 30/01/05 – Extra! – Seguindo uma dica de Odirlei Santana, fui conferir o novo formato DivX Media Format (extensão .DivX) e adivinhe só: O DVP642, não só reconhece o formato, mas é capaz de alternar entre todas as legendas embutidas com o botão SUBTITLE! Sem precisar carregar legendas antes e com fontes grandes (contorna o exibidor de legendas DivX do DVP642)! Também alterna áudios! Baixe o exemplo The Last Man Standing (40 MB) e confira!
  • 30/01/05 – O DivX player da SVA é uma roubada! O visitante Marcello testou o player DivX da SVA por uma semana e devolveu-o à loja porque não teve jeito de colocar legendas externas nos filmes! Junte a isso o fato de que o SVA ostenta o logo “DivX Video” sem até hoje aparecer na lista de certificados e acredito que você possa entrar com uma ação por propaganda enganosa se caiu nessa arapuca!
  • 30/01/05 – A dica sobre a conversão da fonte de alimentação pode estar furada!
  • 30/01/05 – Recebi dois novos DVP642, sem selo de garantia. Aguardem mais fotos e mais informações!
  • 29/01/05 – O DVP642K/78 está novamente disponível nas Americanas! E em 12x sem juros!
  • 25/01/05 – Dica do Luciano Sturaro para ligar o DVD numa TV que não é NTSC e/ou não tem entradas RCA
  • 25/01/05 – Por que o DVP642 nunca inicia uma cena exatamente onde você quer?
  • 25/01/05 – Para usuários de aparelhos importados: como converter (ou consertar) a fonte de alimentação do DVP642.
  • 24/01/05 – Existe uma informação circulando nos fóruns do exterior de que os novos DVP642 tem uma trava que impede o downgrade do firmware 1109 para o 0531. Supostamente, são os aparelhos fabricados após 10/04 que tem o problema. Mas isso não pôde ser confirmado, até mesmo porque eu não consegui achar em lugar algum a data de fabricação do meu!
  • 23/01/05 – Outro player DivX no mercado! – Embora isso curiosamente não seja citado na propaganda no exterior, o Pioneer DV-578A reproduz DivX e, graças a um update de firmware recente, tem suporte a legendas externas. Seu diferencial está no fato de ser o único até agora com suporte a DVD Audio e SACD. Você pode encontrá-lo por R$ 666 (que número feio), com um ano de garantia, na AVC
  • 18/01/05 – Uma curiosidade no funcionamento das legendas externas;
  • 18/01/05 – Saiu preview da versão 1.2 do Firmware Bruno;
  • 17/01/05 – Lembram quando eu disse que a LG tinha 45 aparelhos certificados contra os 9 da Philips? Pois é… agora são 59 aparelhos certificados! Isso sem contar os logos da LG que aparecem na lista ao lado de aparelhos que supostamente são Toshiba, Thomson e até Philips.
  • 16/01/05 – Finalmente, graças a Arthur Azevedo, temos fotos da tela do Samsung P240, mostrando o problema da acentuação.
  • 16/01/05 – Alguém aí tem TV Widescreen e um player DivX qualquer (Samsumg, Philips, LG, etc)? Preciso de informações sobre como o player se comporta exibindo filmes DivX widescreen em uma TV widescreen
  • 16/01/05 – Você tem câmera digital, aparelho de DVD e disposição para abrir o aparelho e tirar fotos de dentro dele? Estou montando um banco de fotos para auxiliar na manutenção e descoberta de clones, mas preciso de ajuda dos proprietários. Todas os fotógrafos receberão o devido crédito pelas fotos, mas não mande nada para mim sem antes entrar em contato para receber instruções de envio!
  • 15/01/05 – Esgotou o DVP642K/78 do estoque das Americanas!
  • 14/01/05 – Também saiu a nova versão do Huffyk para o K/78 (hospedada no servidor de Bruno). Esclarecimentos sobre o porque de ter sido lançada ao mesmo tempo que a de Bruno podem ser encontrados na página do Firmware Bruno!
  • 14/01/05 – Eu sei, eu sei… demorou mais que 24H e alguns dos apressadinhos mais espertos até descobriram como baixar a versão 1.0 sem que eu publicasse o link. Mas agora é oficial: aqui está o Firmware Bruno para o DVP642K/78!
  • 13/01/05 – Meu tutorial sobre sincronizar o áudio com o vídeo foi corrigido
  • 13/01/05 – Criei uma página sobre o LG DK8321-N!
  • 13/01/05 – Bruno Silva (é outro Bruno) encontrou um novo firmware hackeado para o DVP630. Desta vez é o Firmware Mihvel!
  • 13/01/05 – O DVP642 está finalmente disponível oficialmente no Brasil! Pode ser comprado nas Lojas Americanas!
  • 13/01/05 – A Phiips finalmente esclarece o que mudou na versão 1109. Você vai dar risada 🙂
  • 13/01/05 – Bruno hackeou o nosso Firmware 0531! – Eu estava preparando uma surpresa, por isso não falei antes, mas estávamos trabalhando em um hack próprio do firmware do DVP642K/78. Pois tivemos sucesso! Aguarde para as próximas 24H o lançamento do melhor firmware para o DVP642K/78 que você já viu!
  • 12/01/05 – Rodrigo Ferreira testou o Alec999 e gostou, mas também cita o problema de acentuação. Estou cansado, gente, por isso não esperem um review do Alec999 por enquanto. Prefiro reservar meu tempo para a nova versão do Huffyk que vem aí 🙂
  • 12/01/05 – Mais um player que toca DivX! O CCE (você conhece a fama) DVD-2970 já está á venda na Submarino por R$ 459 com 5 filmes. Mas, como de costume, não encontro nada relevante sobre ele no site!
  • 11/01/05 – Novidades sobre o Firmware Huffyk!
  • 11/01/05 – Novo tutorial: Como reprocessar um filme para sincronizar o áudio com o vídeo usando o Virtualdub
  • 11/01/05 – Outro Firmware Hackeado! – Giovanni Dioro encontrou mais um tesouro para nós. Desta vez é o Firmware Alec999. Giovanni novamente arriscou o teste e parece promissor, embora o suporte a acentuação portuguesa ainda seja ruim.
  • 11/01/05 – Bruno cedeu espaço em seu site e agora a versão 1.1 do Firmware Huffyk está novamente no ar!
  • 10/01/05 – Testei o firmware Huffyk v2.0 e adicionei screenshots ao meu review
  • 10/01/05 – Um colega de trabalho comprou o Samsung P240K! Já estou negociando com ele o empréstimo para que eu possa fazer um review. Só não fiquei de joelhos ainda porque detesto ver homem chorando, principalmente quando sou eu! 😛
  • 10/01/05 – Giovanni Dioro reportou que, ao contrário do que eu acreditava, é possível sim usar o “truque do fundo translúcido” em filmes dentro de pastas. Mas se você já achava complicado o processo para a raiz, vai achar esse terrível! Depois eu conto, porque minha atenção está agora no firmware Huffyk 😉
  • 10/01/05 – Rodrigo Ferreira adiantou-se o foi o primeiro a testar a versão 2.0 do hack. Ele reporta que não gostou das alterações. A fonte realmente ficou maior e ganhou uma borda fina, mas tiraram o fundo translúcido! Aguardem meu novo review!
  • 10/01/05 – Mal terminei meu review e huffyk publicou uma nova versão do firmware Huffyk, com fontes ainda maiores! Agora vocês vão ter que esperar:)
  • 10/01/05 – Saiu o meu review do firmware Huffyk!
  • 09/01/05 – Angelo Cesar, de Brasilia, comprou o LG DK-8321N e se ofereceu para me enviar informações sobre ele (obrigado!). A primeira coisa que ele já adiantou foi que ele é compatível com QPEL. Estou preparando um questionário para o Angelo, por isso aguardem que vem aí mais informações 🙂
  • 09/01/05 – Já estou fazendo o review do firmware Huffyk. Aguardem!
  • 09/01/05 – Nova seção: Defeitos e suspeitas de defeito
  • 08/01/05 – Bruno encontrou outra pequena diferença no firmware 1109!.
  • 08/01/05 – Agora meu tutorial de remoção de QPEL e GMC tem suporte a XviD!.
  • 08/01/05 – Movi as informações que eu tinha sobre o Samsung P240K para outra página.
  • 08/01/05 – Rodrigo Ferreira também testou a versão hackeada e tem opinião diferente sobre o suporte ao Português. E é sempre bom lembrar: O DVP642 é igual ao DVP630!
  • 07/01/05 – Errei de novo! – Minha visão de compatibilidade com DTS estava novamente errada. Isso já está ficando chato 🙁
  • 07/01/05 – Apareceu uma versão hackeada do firmware do DVP642/DVP630 que teoricamente implementa uma melhoria nas legendas. Giovanni Dioro, que encontrou e corajosamente testou o firmware, relata que há de fato uma melhora de tamanho nas legendas DivX, mas que o suporte ao Português vai para o espaço. Aguardem um review meu do hack!
  • 07/01/05 – Giovanni Strikes Again! – minha página sobre o uso do GSPOT no modo batch agora também tem versão em inglês!
  • 06/01/05 – Novo tutorial: Como usar o Virtualdub para remover QPEL e GMC de seus filmes.
  • 06/01 – Anote, porque você pode precisar disso um dia: Como resetar o DVP642 para o setup de fábrica!
  • 03/01/05 – Decepção no teste do DivX Player JVC XV NP10S
  • 03/01/05 – O microfone só funciona nas saídas analógicas! Se você estiver usando uma das saídas digitais, não vai poder usar o Karaokê, a não ser que passe para as analógicas. Mas isso não é um grande problema: Afinal, quem espera Karaokê com som digital 5.1? A voz dos “cantores” já mata tudo mesmo! 🙂
  • 03/01/05 – Finalmente! Corrigi as besteiras que falei sobre a compatibilidade do DVP642 com áudio DTS!
  • 03/01/05 – Respondendo a dúvida de um visitante: Comprimento máximo dos nomes de arquivos.
  • 02/01/05 – Confirmado: AVIs com áudio DTS ficam sem som (v1109).
  • 30/12/04 – Finalmente a LG colocou um aparelho DivX no mercado brasileiro: O DK-8321N já está à venda nas Lojas Arno por R$529. Infelizmente, nem o manual a LG disponibiliza no site; por isso ainda não sei nada sobre ele.
  • 30/12/04 – Finalmente testado: Como o DVP642 encara QPEL e GMC (B-VOP e N-VOP também!)
  • 28/12/04 – Jeff-Labs facilitando sua vida: Como localizar todos os seus filmes incompatíveis com o DVP642 de uma tacada só!
  • 26/12/04 – A legenda carrega sem erros, mas não aparece de jeito nenhum no filme?
  • 26/12/04 – O DVP642 é compatível com DVD+RW multissessão (firmware 1109);
  • 26/12/04 – Encontrei um novo problema com legendas DivX SRT;
  • 26/12/04 – Mais um programinha útil: Avicodec
  • 25/12/04 – Mais uma direto do Jeff-Labs: Como o DVP642 lida com um DVD-Video fora da norma.
  • 25/12/04 – Confirmado: O DVP642 não suporta DVD-RAM (o que não faz lá muita falta).
  • 22/12/04 – Confirmado: O avanço de AVIs em CDs tem velocidade menor
  • 21/12/04 – O manual está errado: O DVP642 avança AVI a 30X ou mais!
  • 21/12/04 – Um visitante informou que testou no DVP642 um AVI com áudio DTS e não funcionou.
  • 21/12/04 – Um visitante informou que testou o DVP642 com DVD-RAM e não funcionou.
  • 18/12/04 – Eu já ia esquecendo de falar, mas já há alguns dias Bruno reportou que ao usar o truque do fundo das legendas com arquivos DivX ocorrem problemas de sincronismo do áudio com o vídeo e que isso é resolvido ao re-codificar o filme como XviD. Aparentemente, o truque de apertar o botão SYSTEM MENU duas vezes otimiza o aparelho para XviD e bagunça com o DivX. Eu ainda não tive experiência própria nisso;
  • 18/12/04 – Desde a versão 2.5b3 GSPOT é capaz de dizer se o AVI foi codificado com Qpel, GMC e B- Frames. Você pode saber com antecedência se um AVI vai funcionar ou não no DVP642.
  • 18/12/04 – Um visitante me confirmou o que eu já havia lido em outros lugares: a imagem dos DivX no DVP642 impressiona, mas na reprodução de DVDs usando Progressive Scan (480p) a imagem já não é a melhor possível. Ele chega a mencionar que a imagem de um Cyberhome é melhor! O teste, entretanto, foi realizado com uma TV que tem Progressive Scan. Algo assim ainda está longe do alcance da maioria.
  • 18/12/04 – Giovanni me contou que fez a tradução em resposta a uma solicitação feita aqui. Parece que a quantidade de informações em minha página despertou o interesse dos usuários de língua inglesa 🙂
  • 16/12/04 – Um presente inesperado – Giovanni Dioro (eu não o conhecia) presenteou-me ontem com uma tradução muito bem feita de parte desta minha página para o inglês. Thank you, Giovanni!
  • 16/12/04 – Karaokê sim, mas sem nota – Eu ainda não tive tempo de me dedicar aos testes de Karaoke, mas dois visitantes já me adiantaram que, apesar do Vibratto II ter suporte a notas, no DVP642 não há pontuação;
  • 14/12/04 – Um visitante informou que apesar do Brief do Vibratto sugerir que o DVP642 poderia suportar CD+G, ele não suporta. Não tenho nenhum CD+G para testar, mas como o manual nem cita CD+G…
  • 12/12/04 – Encontrado um limite de tamanho para os arquivos das legendas DivX!
  • 12/12/04 – Confirmado: o firmware 1109 habilita Macrovision!
  • 12/12/04 – Um pouco de religião – Coaxial ou fibra óptica: qual é a melhor conexão digital?
  • 12/12/04 – Resumo do Product Brief – O que a ESS nos conta sobre as capacidades (ocultas?) do DVP642;
  • 12/12/04 – Finalmente, o “Product Brief”‘ do ESS Vibratto II – Não é o datasheet ainda, mas traz importantes revelações sobre o chipset usado no DVP642;
  • 11/12/04 – Parece que errei! – Ainda não sei o que ocorreu, mas eu afirmei que Time Search funcionava com MPGs e não está funcionando. Vou investigar!
  • 11/12/04 – Legendas externas não funcionam com arquivos MPEG1 (.MPG);
  • 11/12/04 – Teste com AVI contendo áudio AC3;
  • 11/12/04 – O firmware 1109 pode ter reativado Macrovision! – Um visitante reportou que estava com problemas com Macrovision que foram solucionados quando ele reverteu o DVP642 para o firmware 0531. Ainda não foi testado por mim;
  • 07/12/04 – Ficou ainda melhor! – Como colocar fundo nas legendas DivX em mais de um filme na mesma mídia (desde que estejam na raiz)!
  • 07/12/04 – Atenção! Atenção! – Após fazer upgrade para a versão 1109 pode não ser possível devolver inteiramente seu aparelho para a condição que tinha na versão 0531. A chave do problema é o terceiro arquivo da 1109, que não existe na 0531. Não faça update “por fazer” ou “porque é o que há de mais novo”;
  • 07/12/04 – Firmware 1109 está sendo alvo de críticas. Estão achando mais problemas que vantagens nele;
  • 07/12/04 – A Philips apagou o arquivo relativo à versão brasileira do firmware 1109. Como esse arquivo sempre foi idêntico ao da versão inglesa, meu link agora aponta para este último. Não faço idéia de por que raios a Philips fica “brincando” com esses arquivos;
  • 06/12/04 – Coloquei uma foto que mostra como fica o fundo nas legendas DivX;
  • 06/12/04 – Encontrei outra utilidade para o DVP642 e para o meu I-glasses – Entreter a minha irmã de 12 anos 🙂
  • Nas fotos, ela está assistindo aos videoclips de Beyonce do DVP642 conectado ao I-glasses e nem percebeu que eu estava fotografando 🙂
  • 05/12/04 – EXTRA! EXTRA! – Dica para pôr um fundo nas legendas DivX, que funciona!
  • 04/12/04 – Finalmente disponível o Philips DVP762! – Encontrei-o listado nas Lojas Americanas mas, por R$ 999, ele teria que ser muito (muito mesmo) melhor que o DVP642. E ele ainda não tem certificação, segundo a lista oficial;
  • 04/12/04 – Mais um player DivX no Brasil – Segundo a propaganda, o SVA D-2188 é capaz de ler MPEG4 e pode ser encontrado por R$499 no ML. Seu ridículo manual de 12 páginas não esclarece dúvida alguma sobre o aparelho e eu é que não gastaria esse dinheiro todo num SVA sem fazer extensos testes antes de comprar. Ele ostenta o logo “Divx Video” na propaganda, mas não pode ser encontrado na lista oficial, o que é muito suspeito! Se ele recebeu certificação, então esta foi dada a seu “irmão” chinês. Alguém aí se arrisca a conseguir arrancar informações da SVA?
  • 04/12/04 – Fiquem de olho na LG – O gigante coreano é recordista em certificações DivX, segundo a lista oficial da DivX Networks. Tem 45 aparelhos listados, contra os 9 da Philips;
  • 04/12/04 – Mais um ponto para o DVP642 – Eu gravei filmes e videoclips em uma mídia vagabunda que, meses depois, simplesmente apagou. O conteúdo não aparece mais nos leitores de DVDROM e nem mesmo no gravador de DVD. Mas o DVP642 consegue enxergar e exibir o conteúdo como se nada tivesse acontecido!
  • 04/12/04 – Más notícias sobre o Samsung – Nenhum dos intrépidos aventureiros que ousaram enfrentar a incompetência e má vontade dos vendedores nas lojas conseguiu fazer com que a acentuação funcionasse.
  • 03/12/04 – Primeiras informações sobre o Samsung P240K são de que a visibilidade das legendas DivX é melhor (letras grandes sobre um fundo azul translúcido), mas que bagunça todas as palavras acentuadas. Dois visitantes se prontificaram a me ajudar nessa avaliação preliminar (estão indo nas lojas testar) e mais informações estão a caminho 🙂
  • 02/12/04 – Novo aparelho que lê DivX na praça! – Se depender do manual do Samsung P240K, ele é superior ao Philips DVP642K em diversos aspectos: Suporta QMC e QPEL, lê WMA, etc. E tem os recursos indispensáveis como suporte a legendas DivX e atualização de firmware fácil. Você encontra nas lojas do Brasil como o Extra ou o Submarino e na cadeia nordestina de lojas Insinuante. Mas atenção! Ser capaz de ler DivX e parecer espetacular no manual não significa muito. Só a experiência com o aparelho pode dizer se ele é superior ou não. Para mim, basta o aparelho ser “fresco” para ler mídias gravadas (como os Panasonic recentes) que já cai 50% no meu conceito; e nisso o DVP642K é campeão! Estou à procura de um à venda em Recife para fazer testes básicos ainda na loja antes de comprar.
  • 30/11/04Meus primeiros testes com o Firmware 1109;
  • 30/11/04Novo e-mail na seção Feedback. Na resposta a ele, eu tento explicar porque eu acredito que o DVP642 nunca suportará WMA, MOV, etc.;
  • 30/11/04 Novos relatos informam que, ao contrário dos relatos iniciais, o Region Hack continua funcionando no firmware 1109 e não há nenhuma mudança na qualidade do vídeo DivX! Aguardem meus testes, porque meus novos DVP642 chegaram ontem 🙂
  • 28/11/04[ATENÇÃO] Os primeiros relatos da aplicação do novo firmware são desanimadores: 1)não melhora nada nas legendas ou em qualquer outra coisa 2)a imagem dos DivX ficou pior e 3) O hack para desbloqueio de região não funciona mais. Não aplique o novo firmware sem estar pronto para reverter para o 0531. Eu não pude testar ainda porque meus novos aparelhos ainda não chegaram.
  • 27/11/04 – Saiu nova versão (1109) do firmware!
  • 20/11/04 – Comprei meu primeiro equipamento de som surround 5.1. O Sony Wega Theater HT-DDW660. Agora eu vou poder testar DivX com AC3 🙂
  • 15/11/04 – Atualizei a seção de outros textos meus que são relacionados a este;
  • 14/11/04 – Vendi meu aparelho e encomendei mais dois. Vou passar uns 10 dias sem fazer testes, mas ainda tenho rascunhos de material comigo para publicar;
  • 14/11/04 – Novo texto associado: Ant Movie Catalog (AMC);
  • 14/11/04 – Agora eu também falo um pouco sobre Progressive Scan;
  • 14/11/04 – Nova seção: Problemas com legendas externas;
  • 14/11/04 Você precisa atualizar o firmware?;
  • 14/11/04 – Formatos incompatíveis até agora;
  • 05/11/04 – O DVP642 é Macrovision Free!;
  • 05/11/04 – Exemplo de arquivo de legenda SAMI;
  • 05/11/04 – Problema de quebras de linha afeta reconhecimento de legendas dos usuários Linux;
  • 01/11/04 – A Philips colocou de novo o firmware e os manuais em seu site!;
  • 01/11/04 – Inclusão da seção Feedback;
  • 01/11/04 – Mais um exemplo de overscan;
  • 01/11/04 – Inclusão de um pequeno parágrafo sobre a qualidade da imagem ;
  • 01/11/04 – Inclusão do teste com um AVI com dois áudios ;
  • 01/11/04 – Inclusão do teste do sistema de cor (saída PAL/NTSC);
  • 27/10/04 – Correção da apresentação de alguns textos, que estavam sendo “cortados” no IE;
  • 27/10/04 – Inclusão da solução do problema dos “square pixels”;
  • 25/10/04 – Inclusão das fotos de exemplo de overscan;
  • 25/10/04 – Início do histórico da página;

Notas gerais:

  • – Sinaliza link para uma página em inglês;
  • A diferença entre o DVP642K e o DVP642 é que o 642K tem Karaokê. Eu uso a denominação DVP642 ao longo deste texto para me referir genericamente a todos os aparelhos dessa série;
  • O DVP642 pode ser novidade para você, mas na verdade ele não é novidade no mercado. Está há muitos meses como um dos produtos mais vendidos na Amazon.com e começou a ser encontrado no Brasil com certa facilidade desde agosto de 2004. Somente em janeiro de 2005 ele passou a estar disponível “oficialmente”, quando passou a ser vendido no site das Lojas Americanas, mas nesta data já existiam centenas de usuários de DVP642 no Brasil, que compraram o aparelho pelos canais “informais”; O DVP642, definitivamente, não é novidade 🙂
  • A diferença entre um DVP642K/78 e um (por exemplo) DVP642K/75 é a região do mundo para onde o aparelho se destina. Existem diferenças na tensão de alimentação, no formato do plugue de alimentação, nas linguagens impressas no manual ou disponíveis na tela e no sistema de vídeo (NTSC/PAL/SECAM), que são determinadas pelo modelo especifico de DVP642. Porém, todos os DVP642 tem as mesmas capacidades e os mesmos problemas, sendo essencialmente iguais. Excetuando a questão da alimentação e os modelos que não aceitam atualizaçao, você teoricamente pode transformar um aparelho em outro apenas trocando o firmware;
  • Nesta página eu falo muito pouco sobre o áudio, porque só comprei equipamento surround recentemente e ainda não me familiarizei com ele. Além disso, entendo pouco de áudio. A maior parte do que sei vem do meu conhecimento como técnico em eletrônica e por já ter colocado som em muitos bailes na adolescência 🙂
  • Esta página está pesada por ter muitas imagens com resolução de 640×80. Eu tentei formatá-la de modo que você pode começar a ler antes da carga completar mas, se sua conexão é discada, como a minha, tenha um pouco de paciência 🙂
  • Eu não dividi esta página em várias outras (do ponto de vista da organização, seria melhor) para que seja mais fácil para você dar uma busca por palavras no texto, salvar no HD ou imprimir;
  • Neste texto, eu presumo que você já saiba o que é DivX, XviD, CODEC, MPEG4, AC3, MP3, etc; Um dia, talvez eu faça textos explicando essas coisas, mas meu tempo livre mal permite o que já estou oferecendo aqui;
  • O DVP642 é baseado em um chip ESS e é tecnicamente inferior ao DVP720SA (não, eu não sei onde comprar no Brasil), que usa um chipset MT1389EE da MediaTek. Porém o DVP720SA é considerávelmente mais caro (eu calculo que haja uma diferença mínima de 50%) e a diferença pode não valer a pena para muitos; Neste texto, eu falo basicamente dos aparelhos DVP642, mas posso citar de passagem as diferenças para o DVP720SA (baseado no pouco que sei sobre ele);
  • Este texto ainda está em “rascunho”. Por favor, não ligue se as informações parecerem “jogadas” ou fora de ordem.
  • Excetuando nota em contrário, todas as imagens da tela foram obtidas por mim mesmo, ligando o DVD Player a uma de minhas placas de captura de vídeo (ATI All-In-Wonder Rage 128 Pro). Excetuando nota em contrário, todas as fotos foram tiradas por mim com minha Canon Powershot A10.
  • Só quem já tentou fazer um review como este sabe o trabalho que dá. Por isso, para minimizar a cópia indiscriminada do meu trabalho (ah, sim! Já fizeram isso!), todas as imagens que eu produzo ganham o logo do meu site. Isso não vai impedir a cópia por alguém determinado a fazê-lo, mas pelo menos o FDP vai ter algum trabalho 🙂
  • O manual, em português, espanhol e inglês é muito resumido. Certas coisas você tem que aprender experimentando. Não há, por exemplo, qualquer referência a legendas DivX no meu manual (alguns podem ter recebido como um adendo, mas eu não). Entretanto, a compreensão total deste texto e do próprio produto requer que você o tenha lido (você pode baixar o manual em português aqui) ou que o tenha em mãos para tirar dúvidas. Eu não perco tempo repetindo o que pode ser lido no manual oficial, o que implica dizer que quase tudo o que está escrito aqui não está no manual!Atalhos (atenção: este “indice” não está completo e nem ordenado):
  • Visão Geral (Overview);
  • Firmware;
  • Macrovision;
  • Como mudar a região (Region Hacks);
  • Time Search;
  • Compatibilidade;
  • Legendas DivX;
  • Prós e Contras – Resumo;
  • Feedback.

    Estou comprando aparelhos defeituosos

    Se você tem um DVP642 com defeito, qualquer que seja, e quer se desfazer dele, entre em conto comigo pelo e-mail comprodvp642@ “junte.com” ryan.com.br. Retire o “junte.com” antes do envio. Não use este e-mail para nenhum outro tipo de contato comigo. Se o fizer, seu e-mail irá para a lixeira e você entrará em minha blacklist. Você foi avisado! 🙂

    O objetivo disso é ter peças para fazer minhas experiências 🙂

    O aparelho que comprei saiu de fábrica para a Região 4 e foi desbloqueado por mim. Comprei por R$ 449 +R$ 15 (frete) à usuária FIORES do Mercado Livre. Os dados dela, caso você deseje comprar direto (sai até 5% mais barato, por não pagar comissão ao ML) são:

    [06/03/2005] Agora, o preço da Lilian para o DVP642 é R$ 319,00, comprando pelo ML

  • Nome: LILIAN ROSILEINE FIORE
  • Apelido no ML : FIORES
  • e-mail: fiores@uol.com.br
  • Telefone: 011-61464398
  • Cidade: Sao Paulo
  • Estado: SAO PAULO Lilian me atendeu bem, disse que postaria a encomenda no mesmo dia do pagamento e o fez. O produto veio com manual em português, na caixa original e não em saco bolha. Perfeito para dar de presente 🙂 Lilian também garante que todos os aparelhos enviados para fora de SP são testados antes.Visão Geral (Overview)
Etiqueta na parte de trás do aparelho. Eu apaguei o meu número de série, claro.

Note o consumo de apenas 15W (um XBOX consome cerca de 100W) e que tem fonte automática. Funciona no Brasil inteiro!

Estas são todas as conexões disponíveis no DVP642. A única coisa que está faltando é uma saída de áudio 5.1 já decodificada*

[12/12/04] E uma porta VGA 🙂

*Uma saída 5.1 já decodificada é uma saída analógica com seis conectores só para o áudio, dispensando você de ter que ter um receiver (HT) com entrada digital e decodificador. Algo assim permitiria a ligação do DVP642 a sistemas 5.1 mais simples e baratos, como o Creative Inspire 5200 (R$ 359 no ML) ou amplificadores separados.

O DVP642 tem um display do tipo VFD (Vacuum Fluorescent Display) bem básico, mas o que esperar de um aparelho que custa apenas US$70 (R$ 210) na Amazon.com? As outras opções do mercado não são muito melhores neste quesito. E é melhor do que display nenhum.

Mais fotos. Clique para ver o original BEM maior (1280×960)

Visão completa. Eu esperava encontrar muito mais circuitos dentro do aparelho.
Close na fonte e circuito de mixer do microfone (karaokê). A saída da fonte, caso não dê para ler, tem as inscrições “STBY, S5V, -24V, AC1 e AC2”
Close na CPU. Note que o aparelho é baseado no chip ESS Vibratto II ES6698F e por isso deve ter as mesmas capacidades e fraquezas de aparelhos similares baseados no mesmo chip.
Close no drive (no jargão dos DVD players de mesa, o nome correto é “loader”). Note que, embora muitos aparelhos DVD usem drives de DVD ROM comuns (IDE) como loader, o DVP642K não usa. O loader acima é um modelo “M”

O aparelho não pode ser usado na vertical, porque a bandeja do loader não tem as travas necessárias para segurar o disco.

Eu não gostei do design do controle remoto. Fisicamente, as teclas não se distinguem o suficiente para que eu possa operar o controle sem precisar ficar olhando para ele. Como fator positivo, ele usa duas pilhas pequenas AA (as mais comuns, que você encontra em qualquer lugar).

O alcance do controle é bom. Você pode operá-lo sem precisar apontar para o aparelho, porque o feixe de infravermelho reflete no teto ou nas paredes (eu acredito que esse é o normal da maioria dos controles de TV/VCR hoje). Isso é especialmente útil ao usar a função Time Search.

Usa duas pilhas pequenas comuns, AA. Na foto estou usando alcalinas, mas geralmente é um desperdício esse tipo de pilha em um controle remoto doméstico.
Na parte interna da tampa do compartimento de pilhas encontramos a etiqueta com a data de fabricação. Embora esta seja a data de fabricação do remoto, serve de pista para a data de fabricação do aparelho.

Alguns usuários vão sentir a falta de um botão EJECT, mas basta apertar o botão STOP por dois segundos (um segundo no fw1109) para dar EJECT ou CLOSE.

EJECT por controle remoto? Prá que?!

A maioria das pessoas se pergunta qual a finalidade de se poder dar EJECT por controle remoto se você vai ter que ir até o aparelho para pegar o disco (ou colocar um) de qualquer maneira..

Mas existe um motivo razoável, apontado pelo Wagner Lipinharski: Se você tem um rack com múltiplos equipamentos ligados, incluindo múltiplos aparelhos de DVD (algumas pessoas tem), ejetar por controle remoto permite identificar que aparelho estava em uso e, óbviamente, onde está o disco. Ou então, em que aparelho você deve colocar o disco.

Como 95% das pessoas não tem esse “problema”, permitir o EJECT remoto apertando o botão STOP por dois segundos (1 segundo no fw 1109) atende os 5% restantes sem fazer a maioria questionar a inteligência dos projetistas se perguntando o que raios um botão de EJECT faz em um controle remoto!

Outro motivo razoável, próprio de aparelhos que, à semelhança do DVP642, permitem mudar a região digitando códigos no controle remoto, é que como esse procedimento geralmente precisa ser feito com a bandeja aberta, se você colocar um disco no aparelho e só descobrir que a região está errada quando estiver sentado no sofá (isso pode acontecer mesmo com o aparelho desbloqueado, por causa da proteção RCE), poderá trocar de região sem se levantar. Leia mais sobre o procedimento de mudança de região aqui

[01/03/05] Para quem gosta de EJECT no remoto, existe ainda mais uma vantagem em se ter o EJECT associado à tecla STOP. É muito comum um controle remoto universal não ter uma tecla dedicada para EJECT, então fica muito mais simples você continuar tendo EJECT pelo remoto ao usar um controle universal quando o remoto original tem STOP e EJECT na mesma tecla

Como na maioria dos DVD Players do mercado, é impossível operar o DVP642K sem o controle remoto, a não ser nos poucos casos em que PLAY e STOP são suficientes. Basta você querer escolher uma legenda ou selecionar uma cena, para ter que ter o controle à mão. As fotos a seguir mostram que os controles fixos disponíveis limitam-se ao bem básico (clique para ver ampliado).

Visão completa (não dá para ler as impressões).
Close do lado esquerdo
Close do lado direito

A função do Botão DISC MENU (DM)

Quando você não está assistindo DVDs, o comportamento do botão DM pode parecer confuso e irritante. No ínício eu considerava óbvio que apertar o botão DM deveria me levar, sempre, para o menu de diretórios, mas não é assim no DVP642. Toda vez que você aperta o botão DM o aparelho alterna entre menu ligado e menu desligado. Se você iniciar um filme qualquer a partir do menu e apertar o botão DM, você verá que o DVP reinicia automaticamente no primeiro arquivo de media do disco. Se você apertar DM mais uma vez verá que o DVP pára e exibe o menu. E assim prossegue sucessiva e alternadamente. Se você está assistindo um filme e quer sair para o menu de diretórios, deve apertar STOP. Se o menu estava ligado, aparecerá imediatamente. Se não estava ligado, bastará apertar DM em seguida para que ele apareça.

Em resumo: não aperte o botão DM enquanto está asistindo a um filme. Em geral, não vai dar o resultado que você espera. Sempre dê um STOP antes e só aperte DM se o menu não aparecer.

As Saídas de Vídeo

O DVP642 tem três tipos de saída que ficam ativas ao mesmo tempo. A saída de vídeo composto está sempre corretamente configurada, mas S-Video fica em preto e branco se estiver selecionada a saída de vídeo componente no menu Video.

O Sistema de Video

Primeiro, você precisa estar ciente de que tanto em um aparelho de DVD quanto em um aparelho de vídeo cassete (VCR) existem dois pontos onde o sistema de Video (PAL/NTSC) é relevante:

  • No filme;
  • Na saída para a TV;

O DVP642 é capaz de reproduzir filmes NTSC ou PAL e tem saída para TV NTSC/PAL, porém eu testei o DVP642K/78 ligado na minha ATI All-In-Wonder Rage 128 Pro e percebi que quando o DVP642 é ajustado para PAL só dá para assistir se o sistema de cor da TV for PAL-B ou PAL-G. Isto é: o DVP642K/78 é PAL, mas não é PAL-M!

Como o sistema de cor no Brasil é PAL-M, isso significa que se a entrada de vídeo da sua TV não for NTSC ou MULTI você não poderá assistir em cores. A minha Gradiente NEXT de 20″ (já tem vários anos de idade) na sala não funciona com o DVP642, por ser exclusivamente PAL-M.

[25/01/05] – Leia a Dica do Luciano Sturaro

O DVP642, adicionalmente, é capaz de converter discos de PAL para NTSC e vice-versa. Ou seja, se você adquirir discos na Europa (PAL) poderá assisti-los aqui no Brasil no seu DVP642K/78. Esta não é uma facilidade comum nos DVD players.

Se alguns videos DivX/MPEG ficam com a imagem piscando, em preto e branco ou fora de sincronismo, certifique-se de ir no setup e configurar para o sistema de sua TV. Se a opção selecionada for MULTI, o DVP642 entende que sua TV é multinorma e passa o video exatamente como está. Quando você define o sistema, o DVP642 faz a conversão automática.

Progressive Scan

O DVP642 tem Progressive Scan, mas antes que você diga “UAU!” é bom ficar avisado que você precisa ter uma TV capaz de manipular um sinal Progressive Scan, se quiser usar esse recurso. E TVs capazes disso ainda são bem caras e difíceis de encontrar, pois não é “só mais um recurso”: Progressive Scan é difícil e caro de implementar em uma TV.

Em contrapartida, parece ser muito barato colocar Progressive Scan num DVD Player, pois até o Cyberhome CH-DVD 300 (que custa a merreca de R$ 180 em SP) tem Progressive Scan.

Progressive SCAN ? É algum anti-vírus pra DVD?

“Progressive Scan” significa Varredura Progressiva. A Philips denomina de “Varrimento Progressivo” no manual brasileiro, mas isso certamente não é Português brasileiro 🙂

Todas as TVs “normais” usam varredura entrelaçada. Cada quadro é “impresso” na tela primeiro exibindo as linhas ímpares e depois as pares. Essa é uma “herança” da dificuldade que se tinha para fazer uma Varredura Progressiva quando a TV foi inventada (1930?). A velocidade relativamente baixa com que se podia fazer o Progressive Scan antigamente gerava uma imagem que “piscava”. Hoje, com a eletrônica moderna e tubos de imagem melhores, já é possível eliminar isso, mas ainda custa caro.

O resultado de um quadro construído com Progressive Scan é uma imagem perceptívelmente melhor dos objetos em movimento (não faz lá grande diferença para objetos fixos).

A qualidade da imagem (DivX)

A imagem ao reproduzir DivX é impressionante. Não espere “qualidade de DVD”, porque isso seria bobagem. Mas você provavelmente vai achar a imagem dos seus DivX na TV, com o DVP642, melhor do que no monitor do PC ou mesmo na TV, mas usando a saída para TV de sua placa de vídeo. Impressiona também a facilidade com que o DVP642 renderiza os frames. Quem já se acostumou a ver até Pentium III 700 e Duron 950 “penando” para reproduzir um DivX qualquer (você precisa ter uma boa placa de vídeo nessas máquinas para obter um resultado satisfatório), vai se maravilhar com a tranquilidade do DVP642 🙂

Por que a imagem de um DivX fica melhor na TV do que no monitor?

Por estranho que pareça, é justamente por causa da qualidade de imagem inferior da TV.

Como todas as TVs normais usam varredura entrelaçada e o entrelaçamento é um efeito que pode ser visível ao olho humano, as TVs propositalmente aplicam uma certa dose de “blur” (também chamado de “softening”) à imagem para esconder os efeitos do entrelaçamento. Esse mesmo blur esconde um monte de defeitos da codificação DivX.

A qualidade da imagem (DVD-Video)

Existem diversos relatos na net de que a imagem do DVP642, especificamente ao reproduzir DVDs, é inferior à imagem de DVD players como o Sony PS2. Porém isso parece ser evidente apenas para os usuários que tem TVs com Progressive Scan, o que exclui 99% dos brasileiros 🙂

Em um dos relatos que li aqui, a mesma pessoa que disse que a imagem do PS2 era melhor, também afirmou que ao desligar o Progressive Scan a situação se invertia e a imagem do PS2 ficava pior que a do DVP642.

Eu, particularmente, não tenho uma TV suficientemente boa para notar algo de realmente ruim na imagem do DVP642 e, de qualquer forma, eu encaro o DVP642 com um DivX player que também toca DVDs e não o oposto.

Macrovision

Se você não sabe o que é, leia esta minha outra página.

O DVP642 é Macrovision Free com o firmware 0531, mas não com o 1109!

Realizei o teste conectando o DVP642 à entrada de vídeo composto de minha ATI All-In-Wonder Rage 128 Pro. Gravei um trecho de Cher – Live In Concert usando o Intervideo Windvr e não encontrei qualquer problema no arquivo gravado

Para tirar a prova, usei o mesmo setup, desta vez trocando o DVP642 pelo meu Cyberhome CH-DVD 300, que tem Macrovision habilitado. Gravei o mesmo trecho de DVD e o arquivo gerado ficou inútil. A mesma sequência de imagens se repete o tempo todo, quase como se estivesse congelado o filme. Isso é típico de gravações feitas com placas de captura ATI, quando existe proteção Macrovision no original.

Com o firmware 1109, entretanto, as coisas mudam. Realizei o teste com um trecho de Demolidor – Special Edition usando condições de teste diferentes (mas válidas) da condição do teste anterior e o vídeo gravado apresentou o problema típico de Macrovision em placas ATI. Fiz uma cópia do mesmo DVD removendo a proteção Macrovision e refiz o teste: o problema sumiu.

O limite de 2GB

O DVP642 não é capaz de reproduzir arquivos maiores que 2GB. Mas antes de enxergar isso como um defeito, preste atenção.

Pegue aleatoriamente qualquer um DVD de sua coleção e veja se você encontra (com um computador, claro) algum arquivo maior que 2GB dentro. Eu nunca vi nenhum. Mesmo DVDs originais com um tamanho próximo dos 9GB estão sempre divididos em arquivos cujo tamanho não ultrapassa os 2GB.

Além disso, o formato ISO aceita no máximo arquivos de 2GB. Se você gravar um DVD com um arquivo maior que isso, esse DVD não está no formato ISO e, portanto, não é 100% compatível com o DVD642. Se você tentar gravar um DVD assim com o Nero, ele irá avisá-lo de que você terá que usar o formato UDF, mas mesmo assim não funcionará no DVP642.

Mais ainda: Arquivos maiores que 2GB não podem ser abertos no Win9x (embora o limite da FAT32 seja de 4GB) e no Linux 2.4 (ou mais antigo).

Resumindo: Não é recomendável que você crie qualquer conteúdo cujos arquivos individuais excedam a barreira dos 2GB

DVD-Video fora da norma

Testado com firmware 1109.

Como você deve (ou deveria) saber, um DVD-Video (o popularmente chamado “DVD de filme” ou “filme em DVD”) precisa ser gravado usando regras específicas. Você não pode simplesmente copiar e colar o diretório VIDEO_TS de um DVD para outro, mesmo que o original esteja desbloqueado, porque aí ele será gravado como dados (DVD-DATA) e muito provavelmente o DVD resultante disso será ignorado pela maioria dos DVD players. Você geralmente nâo precisa preocupar-se com isso, porque basta usar a opção “DVD-VIDEO” de seu programa de gravação de DVDs preferido para gravar um DVD-Video 100% dentro da especificação.

Mas como o DVP642 não é um player comum, resolvi descobrir se ele tinha a capacidade de “entender” um DVD-Video que tenha sido acidentalmente (em uns poucos casos, propositalmente) gravado errado.

Teste 1

Gravei o diretório VIDEO_TS de um DVD-Video (e nada mais) direto para a raiz de um DVD+RW, usando a opção Data-Disc do Nero 6.3.1.25. Como eu esperava, o Nero me advertiu de que o que eu estava fazendo não iria funcionar. Ignorei e prossegui.

Coloquei o DVD gravado no DVP642. O DVD foi imediatamente reconhecido como um DVD-Video e começou a rodar automaticamente.

Teste 2

Usei as mesmas condições do teste 1, mas gravei o diretório VIDEO_TS dentro de outro diretório. Desta vez, o DVP642 não reconheceu o DVD como um DVD-Video (isso eu já esperava) e abriu o menu de navegação. Fui até a pasta VIDEO_TS e percebi que o DVP642 reconhece todos os VOBs como arquivos que ele pode reproduzir, porém, ele não enxerga o arquivo VIDEO_TS.IFO, o que impede você de poder acessar os menus de um DVD gravado dessa forma. Para todos os efeitos práticos, um DVD gravado dessa forma é visto pelo DVP642 como uma coleção de MPGs.

Teste 3

Usei as mesmas condições do teste 1, mas gravei também na raiz do DVD dois AVIs. O DVP642 ignorou os AVIs e rodou o DVD-Video automaticamente. Não consegui ter acesso ao AVIs. Apertar Disc Menu no remoto sempre leva ao menu do DVD-Video.

Resumo: O DVP642 se sai bem reconhecendo e executando DVDs-Video gravados incorretamente, porém você não pode gravar mais de um DVD-Video na mesma mídia, nem misturar um DVD-Video com outros tipos de filme.

Eu não fiz testes muito rigorosos. Pode haver uma combinação mágica de teclas que altere, para melhor, o resultado de meus testes.

Como mudar a região (Region Hacks)

O procedimento sempre começa apertando e segurando [STOP] até a bandeja abrir e sempre termina fazendo a mesma coisa até a bandeja fechar.

Sequencia a Digitar Versões do firmware onde supostamente funciona Confirmado por mim
7,8,9 ok 0 409, 521,531, 1109, 1223 521, 531, 1109
0,0,0,0 ok 0 Não informado. Provavelmente, versões bem antigas.

Por exemplo:

[STOP] até a bandeja abrir, [7], [8], [9], [ok], [0], [STOP] até a bandeja fechar

O último número a digitar (no caso: zero) é a região que você quer definir para o aparelho (região zero = todas). Se você quisesse definir o aparelho com uma região específica, bastaria trocar esse último zero pelo número da região pretendida. Definir uma região específica vai ser útil ao reproduzir filmes que contenham a proteção RCE, que impede o filme de rodar em um player que seja “região zero”.

Se você procedeu corretamente, ao teclar o número da região este aparece brevemente na tela.

Capítulos em DivX/MPEG

O DVP642 não tem qualquer suporte a capítulos em DivX/MPEG, mesmo que o filme usado esteja em um container que dê suporte a isso. Um meio de contornar seria dividir o filme em pedaços, que seriam os capítulos, bastando então apertar NEXT para avançar por eles, mas eu mesmo não aprecio essa solução.

Suporte ao DivX Media Format (DMF)

DMF é um formato contâiner criado pela DivX Networks que suporta menus, capítulos, várias faixas de áudio e legendas selecionáveis. Os arquivos deste contâiner tem a extensão .DivX e já são reconhecidos pelos players que tem Certificação DivX, como o DVP642.

Porém nem todos os recursos do formato são suportados. O DVP642 executa o DMF e você pode escolher legendas e faixas de áudio, mas o menu (se houver) não é exibido, e a divisão em capítulos é ignorada.

As legendas exibidas são grandes (até demais) parecendo com as de DVDs;

Você pode acompanhar outros testes que fiz com o DMF aqui

Comprimento máximo dos nomes de arquivo

Sabemos que o tamanho máximo que o DVP642 exibe na tela são 11 caracteres, mas como ele se comporta quando vê nomes muito maiores? Eu não achei que esse teste fosse necessário, até que um visitante me disse que no DVD Philco dele arquivos com nomes maiores que 39 caracteres simplesmente não apareciam no menu, resolvi checar.

O máximo que pude testar até agora foi 97 caracteres (+extensão=101 caracteres) na raiz da mídia, porque o Nero simplesmente cortou todos os nomes maiores que isso já na gravação do CDRW e do DVD+RW que usei nos testes (ainda vou pesquisar se isso é norma ou frescura do Nero).

Funcionou sem problemas. O DVP642 simplesmente trunca o nome para 11 caracteres.

Avanço e Retrocesso (FF e REW) em AVIs

Apesar do que diz o manual e do que você vê na tela, o FF de um AVI chega a 30X quando mostra 2X e 50X quando mostra 8X. Os testes foram realizados com dois AVIs diferentes em um mesmo DVD-R, após Giovanni Dioro ter me apontado o fato. O firmware era o 1109.

Para o teste, usei um cronômetro que iniciei ao mesmo tempo que apertava a tecla FF do controle remoto. Após 10 segundos no cronômetro, apertava Play e verificava no display do DVP642 o ponto do filme onde havia parado. Em 2X, o DVP642 deveria parar 20 segundos adiante (2×10), mas pára cerca de 5 minutos depois! (30X => 30×10 = 300segundos = 5 minutos)

Em CDs a velocidade é mais baixa. Em 10 segundos de FF 2X, você avança 2 minutos no AVI (12X).

Eu imagino que a indicação (2X, 4X, 8X) do DVP642 esteja relacionada com a velocidade de rotação do DVD (que está diretamente relacionada à velocidade de exibição de um DVD-Video) e não com a velocidade de exibição do AVI.

O REW é significativamente mais lento. Ainda não medi o quanto.

Ainda preciso fazer mais testes, incluindo outras mídias, outros tipos de filme e outra versão do firmware.

Time Search

Se você for confiar no manual, vai achar que essa função só está disponível para VCD e DVD, mas ela funciona também com AVIs e MPGs. E funciona muito bem!

[11/12/04] Refiz o teste agora e o Time Search não está mais funcionando para arquivos MPEG1, mesmo renomeados para AVI. Testado com firmware 1109. Eu imagino que fiz o primeiro teste quando meu firmware ainda era o 0521.

Enquanto estiver assistindo a um filme ou clipe qualquer, basta apertar a tecla display para aparecer algo semelhante a isso na tela:

Não, não é o Will Smith que aparece na tela, espertinho. Estou falando dos números no topo! 🙂

O da direita é o ponto do filme onde você está agora (no caso, 29 minutos e 19 segundos). Do lado esquerdo, você pode “preencher” com o teclado numérico do remoto para onde você quer saltar. Depois é só apertar OK que o salto é quase instantâneo.

Quer saltar 20 minutos à frente ou para trás? Basta acrescentar ou subtrair 20 minutos do tempo atual e digitar com o numérico. Você não precisa digitar os segundos (nem os minutos), se não precisar mesmo (o salto vai ser dado exatamente para onde você definiu), mas você sempre tem que digitar a hora, mesmo que seja ’00’.

[09/11/04] Parece que eu não consegui ser suficientemente claro na frase acima, porque estou recebendo questões de usuários que não conseguem colocar o Time Search para funcionar, então vou explicar de outra maneira:

1) Você tem que digitar a hora, mesmo que seja ’00’!!! Se você quer saltar para os 54 minutos do filme, tem que digitar 005400 [OK] ou 0054 [0K]. Se você começar digitando pelo 5, vai aparecer a mãozinha, sim!

2) O salto não é relativo, é absoluto. Se você quer pular 20 minutos do filme, tem que acrescentar 20 minutos ao tempo atual e digitar o resultado. Ou seja: se o filme já vai nos 5 minutos e você quer dar um salto de 10 minutos, vai parar nos 15 minutos. Então tem que digitar 001500 [OK] ou 0015 [OK].

Apertar display e OK logo em seguida te leva instantaneamente para o início do filme, sem perder as legendas.

Está assistindo Instinto Selvagem e tem anotado exatamente em que momento acontece aquela cruzada de pernas de Sharon Stone? Basta digitar com o remoto que instantâneamente o DVP642 salta para lá 🙂 Detalhe: Se estiver asistindo um DivX. as legendas não “se perdem” como acontece quando você dá um FF/REW. Uhuuuuu!

Por que o DVP642 nunca inicia uma cena exatamente onde você quer?

Entenda os Keyframes

Compatibilidade

Toda propaganda do aparelho menciona apenas que ele é compatível com DivX 3.11/4.x/5.x, ignorando o popular XviD. Mas na página 15 do manual, no texto sobre compatibilidade, temos além da referência a DivX, uma referência a MPEG-4 onde se lê: “MPEG-4: All video codecs that comply with specifications of ISO-MPEG4”. E o aparelho é sim, compatível com XviD. Aparentemente, a Philips está sob alguma restrição no contrato que fez com a DivX Networks (detentora da marca “DivX”) que a impede de mencionar explicitamente os nomes dos codecs “alternativos” ao DivX, como o XviD.

Esta é a certificação DivX obtida pelo DVP642K

Fui dar uma olhada na página da DivxNetworks sobre a certificação e encontrei citações interessantes sobre a necessidade de suporte a legendas e múltiplas faixas de áudio. Isso pode significar que qualquer player que tenha o logo tem suporte a legendas, mesmo que você não veja isso na propaganda.

A propósito, como a Philips lidera o consórcio por trás do formato DVD+R (o formato DVD-R é invenção de um consórcio liderado pela Pioneer), você só vê referências nas propagandas e no manual às mídias DVD+R e DVD+RW, mas o aparelho também é compatível com DVD-R e com DVD-RW. Fazer de conta que o formato concorrente não existe, apesar da compatibilidade, é prática comum.

O DVP642 não se importa com a extensão do arquivo (mas ele definitivamente se baseia nas extensões quando está indexando o disco). Ele identifica o formato do arquivo mesmo que a extensão usada seja imprópria, baseando-se na “assinatura” que todos os arquivos de media tem. Coloquei nele um disco VCD gravado errado (não é reconhecido como VCD) e ele apresentou o menu de arquivos, de onde eu fui até o diretório MPEGAV e pude executar os MPGs do VCD (que tem a extensão .DAT). O DVP642 ajuda nisso, colocando um ícone do lado do arquivo que indica do que se trata

Depois fiz o teste definitivo, gravando em um CD-RW:

  • Um arquivo MPG renomeado para JPG;
  • Um arquivo MPG renomeado para MP3;
  • Um arquivo JPG renomeado para MP3

O DVP642 identificou e exibiu correta e automaticamente os três arquivos! Ao exibir o menu, o DVP642 mostra os ícones corretos para cada arquivo, ignorando a extensão. Você pode, navegando por um CD/DVD, descobrir que um arquivo é “exibível” com a ajuda do DVP642.

Arquivos cujo formato não foi reconhecido ou não é suportado, nem sequer aparecem no menu de conteúdo.

O DVP642 não exibe as extensões dos arquivos e usa ícones para diferenciá-los:

O ícone “VCD” é usado para identificar arquivos do tipo MPEG1 e MPEG2. O item “3” é uma legenda. “4” e “5” são filmes AVI DivX e “6” é um arquivo JPG.

A propósito, você pode selecionar cada um desses arquivos pelo número. Basta digitar o número seguido de [OK]. Como a movimentação com as setas é um tanto lenta, isso agiliza a navegação.

Velocidade de identificação do conteúdo

A identificação de todos os discos é rápida, mas não tão rápida quanto em um Cyberhome CH-DVD 300. Peguei um grupo de 11 DVDs originais (a maioria de dupla camada) e cronometrei o tempo que a mensagem LOADING permanece no display para cada um. O tempo de Loading para oito deles foi de cerca de 15 segundos. Dois deles levaram oito segundos e um deles (FARGO) levou vinte segundos.

Comparando Davi e Golias

Como comparação, testei FARGO no Cyberhome CH-DVD 300. Levou menos de oito segundos (o Philips leva 20) para aparecer a mensagem “DVD” na tela (o CH-DVD 300 não tem display). Porém é preciso levar em consideração que o Cyberhome suporta menos formatos e precisa então fazer menos verificações no conteúdo do disco. Não sei se é esse mesmo o motivo, mas precisa ser levado em conta.

Pode ser que seja superioridade do Cyberhome, mesmo. Já que o aparelho é perceptívelmente superior ao Philips em outros aspectos, como a navegação.

Curiosamente, a identificação do conteúdo de DVDs-Vídeo copiados é mais rápida que a de DVDs originais, Testei com vários DVD-Rs e DVD+Rs e o tempo de Loading ficou consistentemente entre 7 e 8 segundos. Testei com várias mídias diferentes: CMCMAG(+R), GRUPOCONDOR, AN31, IOTA, PRINCO, RITEKG04, IS01 001(+R) e INFOSMART01.

Existe repetibilidade. O DVD que leva X segundos para ser identificado sempre leva X segundos.

Problemas gerais ao reproduzir DivX:

FF/REW a no máximo 8X (sem chance de corrigir isso com update do firmware). Quando eu li uma reclamação de que a velocidade de FF/REW era limitada, achei bobagem. Mas realmente faz falta uma velocidade maior. Você pode tentar compensar isso usando a função Time Search; Mas é claro que Time Search não serve para nada nos casos em que você está procurando por uma cena específica ou tem outro motivo qualquer para passar o filme em alta velocidade, acompanhando as imagens na tela.

[22/12/04] Isso é o que dá acreditar cegamente no manual. Na verdade, o FF de AVIs vai de 12 a 50X!

O aparelho não “lembra” onde você estava, se você for escolher a legenda depois de iniciado filme. Ele recomeça do início. Aliás, acho que o DVP642 nunca lembra 🙁

Apertar o botão DISC MENU durante a execução de um DivX não te leva ao diretório do disco, como eu imaginei que seria razoável. Isso faz o filme começar de novo e sem as legendas.

O aparelho não é compatível com DivX Audio (um codec específico, baseado em WMA). Filmes codificados com Divx Audio serão reproduzidos sem som.

[Firmwares 0531, 1109 e 050517] Em alguns casos, quando você coloca um filme no DVP642 não aparece imagem nenhuma e você pode perceber pelo display do aparelho que o filme está avançando rapidamente, até parar. Você pode resolver o problema com o programa MPEG4 Modifier, que você pode baixar em http://www.moitah.net. Carregue o filme no MPEG4 Modifier, selecione “square pixels” e mande salvar. Só leva alguns minutos e resolve o problema do filme.

Na verdade, o DVP642 aceita qualquer valor padrão para o Pixel AR (PAR). O problema só ocorre quando é definido algum valor personalizado (custom) ou quando se altera o DAR. O DVP642, mesmo quando aceita o PAR, o ignora, por isso não faz diferença.

Como o DVP642 encara QPEL e GMC (testes feitos com firmware 1109):

[20/03/05] Não é possível dar ao DVP642 suporte a QPEL. Nem mesmo a Philips pode fazer isso, porque o processador não tem poder suficiente. Eu não sei se é possível dar suporte total a GMC, mas acho muito improvável.

  • Videos com QPEL – Não rodam. Se o filme for o único ou o último, O DVP642 pára e acusa na tela “CODEC NÃO SUPORTADO (QPEL)”. senão, simplesmente o salta (ignora);
  • Videos com GMC – Até pode começar a rodar, mas com imagem distorcida. Se o filme for o único ou o último, O DVP642 pára e acusa na tela “CODEC NÃO SUPORTADO”. senão, simplesmente o salta (ignora); [07/02] Como GMC é um recurso que é usado apenas quando necessário, é possível que seu filme rode vários minutos até encontrar a primeira cena com GMC e parar.

Mas alguns filmes com GMC rodam no meu DVP642!!

Pois é… mas você talvez não tenha percebido que todos os que rodam são DivX e nunca XviD, não é?

Isso ocorre porque DivX faz GMC com 1 “warp point” enquanto XviD faz com 3. Segundo gente que entende muito mais de MPEG4 que eu, GMC de 1 warp point é inútil e não faz diferença no filme. A Philips foi honesta ao declarar que o DVP642 é incompatível com GMC mesmo quando ele é compatível com DivX GMC. Ponto para a Philips nisso aí!

Aproveitando, testei mais dois atributos que aparecem na análise do GSPOT:

  • Videos com B-VOP – Rodaram normalmente; [07/02/05] Existem suspeitas ainda não confirmadas de que vídeos com mais que 2 B-VOPS consecutivos sejam incompatíveis.
  • Videos com N-VOP – Rodaram normalmente;

Leia também: Como usar o Virtualdub para remover QPEL e GMC de seus filmes

Problemas gerais (comuns) ao reproduzir DivX/MPG/JPEG:

É possível avançar de um arquivo para outro sem passar pelo menu, apertando a tecla NEXT do controle remoto; porém seria bom se o DVP642 exibisse ainda que brevemente na tela o nome do arquivo que você está vendo agora. O aparelho não exibe absolutamente nenhuma informação na tela sobre o que você está vendo (nem apertando a tecla display, que foi reservada para a função Time Search). Isso atrapalha bastante, principalmente quando você enche um disco de filmes e trailers para testar o que funciona e o que não funciona. ainda mais porque o DVP642 simplesmente pula o que não consegue identificar, sem nenhum aviso. Então, nem pela ordem você consegue se basear.

Não use acentos nos nomes dos arquivos, se você quiser reconhecê-los na navegação. O DVP642, mesmo com o firmware 0531 ou 1109 e ajustado para o idioma português, não sabe lidar com eles. As letras acentuadas são trocadas por outras que “não tem nada a ver”. Por exemplo, “cópia” aparece no menu como “cjpia”.

Imagens com cores distorcidas em XviD

Alguns filmes XviD podem apresentar problemas de exibição (algo como uma imagem embaralhada ou distorcida) e isso pode ser contornado apertando-se duas vezes o botão System Menu, mas o truque nem sempre resolve o problema em 100%.

Esse problema é provocado pelo uso de matrizes de quantização customizadas. Para saber se um filme qualquer tem o problema, abra-o no MPEG4Modifier e clique em “Video Info”. Do lado de “Quant type: ” só deve aparecer “H.263” ou “MPEG”. Se estiver escrito “MPEG Custom”, o filme vai apresentar problemas no DVP642.

Para resolver o problema definitivamente, você vai ter que reprocessar o filme. Isso pode ser feito com o virtualdub (seguindo este tutorial) ou com o virtualdubmod

Nem o Samsung P240K, nem o LG DK8321N apresentam esse problema.


Formatos compatíveis

  • Para áudio: MP3 (até 320Kbps 48KHz);
  • Para imagens: JPG (até 5120×3840 “normal” ou 2048×1536 progressivo);
  • Para Vídeo: .VOB .AVI (depende do codec usado), .MPG, .DivX .MP4 (depende dos codecs usados).

Como regra, considere que apenas audio MP3 e AC3 é permitido para DivX

Formatos populares incompatíveis

Esta lista não pretende ser completa. É mais fácil listar os formatos compatíveis do que todos os formatos existentes que não funcionam

  • Para áudio: WAV (PCM), WMA, Ogg (filmes com audio em qualquer destes formatos ficarão mudos);
  • Para imagens: GIF, BMP, TIF;
  • Para Vídeo: Matroska (MKV), WMV, OGG/OGM, Todos Quicktime, Todos Real Media (.rm).

Como Matroska e OGM são apenas formatos containers (isto é: não são codecs), parece possível que em um firmware futuro o DVP642 seja capaz de interpretá-los (ainda que parcialmente). Entretanto, não conte muito com isso. Por outro lado o Ogg, apesar de ser também um container, está atrelado a codecs especificos não suportados pelo Vibratto, o que o torna um fomato muito improvável de ser aceito um dia pelo DVP642.

O que é um formato container?

O objetivo de um container é agrupar um ou mais arquivos de mídia em um único arquivo para facilitar o uso. AVI, Quicktime, RealMedia, Matroska, OGG e OGM são todos containers.

O mais conhecido de todos, o AVI, sofre de limitações sérias para os dias de hoje, como a falta de suporte a legendas (você não pode guardar uma legenda dentro de um AVI) e a capítulos (como nos DVDs). Os containers recentes, como o OGM e o Matroska, resolvem esse problema e tem um overhead (tamanho final maior que a soma das partes) menor.

OGG é um container, porém criado para conter apenas um punhado de codecs específicos, incluindo o OGG Vorbis (audio). OGG, por exemplo, não pode conter um vídeo DivX ou um áudio MP3.

OGM nasceu como um “hack” do OGG que permite conter outros formatos de vídeo e áudio.

Matroska leva vantagem sobre o OGM tanto em overhead quanto em recursos, por isso o OGM tende a desaparecer no futuro.

MP4 parece promissor, mas sofre do grande problema de ser proprietário e requerer o pagamento de royalties para seu uso (principalmente em players de mesa), enquanto o Matroska é um projeto free e Open Source. Se você está criando seu próprio material, não use MP4 e considere Matroska. Quanto mais um formato é usado, mais se valoriza; e valorizar um formato fechado é dar um tiro no próprio pé.

Como esses formatos são apenas containers, na maioria dos casos você pode transformar um em outro simplesmente extraindo o conteúdo de um e gravando no formato do outro. Um processo rápido, absolutamente sem perdas e que não requer computadores poderosos.


Testes de compatibilidade

Nota1: Eu incluo os nomes dos filmes DivX para minha referência apenas (para que eu possa refazer os testes, se necessário). Não faz nenhuma diferença para você que está lendo se o filme é “Spiderman” ou “A Fuga das Galinhas”. O importante são as informações de Codec (obtidas com o GSPOT), tipo de legenda, etc.

Nota2: Nos testes com mídia DVD, eu cito o verdadeiro fabricante e modelo da mídia primeiro (AN31, RITEKG04, CMCMAG, etc. Conforme programas como o DVDInfoPro) e depois a marca com que foi vendida (Ridata, Philips, LG, SKy, etc). Esse detalhamento todo pode não fazer muito sentido para você, se você for novato na gravação de DVDs, mas um dia fará. 🙂

O DVP642K/78 é compatível com CD-R, CD-RW, DVD-R, DVD+R, DVD-RW e DVD+RW. Eu testei todas essas mídias com sucesso.

A compatibilidade dele é excelente. Leu as mais complicadas mídias que eu tinha, ficando empatado com o Cyberhome CH-DVD 300.

  • CD-R de Videos MPG para PocketPC – Reconheceu normalmente, mas tive problemas de skipping e áudio fora de sincronismo no trailer de “As panteras”
  • CD-R BENQ “Pantaleão e as Visitadoras” (DIV3 23.976fps 352×224 – MP3 117Kbps [GSPOT não diz se é VBR ou CBR] 48KHz) – Skipping e áudio fora de sincronismo desde o início
  • CDRW SmartBuy 700MB 4X-10X “Pantaleão e as Visitadoras” (Cópia do CD anterior, feita a 10X no LG 4081B A104) – Exatamente os mesmos problemas, então não é culpa da media. Ainda estou investigando a causa do problema, mas parece ser no CODEC de audio.
    • [10/11/04] Descobri o que provocava o problema deste filme e como resolver. Todo o problema estava no áudio.
  • CD-R Pioneer “Todo Mundo em Pânico” (DIV3 23.976fps 640×272 – MP3 64Kbps CBR 44.1KHz) – O filme dá “pulos” ou “soquinhos” saltando frames a cada x segundos. Mesma coisa com firmware 0521 ou 0531.
    • [10/11/04] O problema também acontecia no PC, embora eu não tivesse notado antes. É um defeito provavelmente provocado por erro na hora de fazer o “deinterlacing” do filme, ao ripar o DVD. Não era culpa do DVP642;
  • CD-R Pioneer “Décimo Terceiro Andar” (DIV3 23.976fps 640×272 – MP3 128Kbps CBR 48KHz) – Nenhum problema foi notado.
  • CD-R sem marca “MP3 21” – CD que trava o meu Cyberhome ao ser inserido. Demorou para indexar, mas depois funcionou OK.
  • CD-R BENQ “O Escorpião Rei” (DIV3 23.976fps audio MP3 143Kbps) – Nenhum problema aparente em alguns minutos de teste.
  • CD-R BENQ “Carga Explosiva” (XviD 23.976fps audio MP3 130Kbps VBR) – Nenhum problema aparente em alguns minutos de teste.
  • CD-R Plasmon “Doze é Demais” (XviD) – Leu corretamente as legendas SRT, mas não entendeu a formatação HTML (<i> e </i>, por exemplo) usada em algumas passagens. Nenhum problema aparente em alguns minutos de teste
  • CD-R Pioneer “Da Magia à Sedução” (DIV3 23.976fps – MP3 116Kbps VBR) – Nenhum problema aparente em alguns minutos de teste.
  • DVD-R Princo “A Era do Gelo” – Alguns Trechos testados – Parece tudo OK
  • DVD-R IOTA “O Segredo do Abismo” – Alguns Trechos testados – Parece tudo OK. Este é o mesmo DVD arranhado que apresentou sérios problemas de sicronismo de áudio no Player JTEC, mas que também funciona normalmente no Cyberhome
  • DVD-R AN31 (SKY) “O Amor Custa Caro” – Parece tudo OK.
  • DVD+R CMCMAG (Philips) “O Rei Leão” – Parece tudo OK.
  • DVD+R GRUPOCONDOR (Budget) “Um Barzinho, Um Violão 2” – Parece tudo OK.
  • VCD 2.0 Multiokê (http://www.multioke.com.br) – Parece tudo OK.
  • [22/12/04] DVD-R (Budget) – Quatro horas assistindo AVIs sem um único problema.

Resumo das coisas de que não gostei (contras):

  • Interface ruim (pouca informação na tela). Apenas 11 caracteres para os nomes de arquivos, não suporta ID3 para os MP3, não exibe o nome do que está sendo reproduzido, etc;
  • Design do controle remoto poderia ser melhor;
  • Não suporta legendas Vobsub (e provavelmente nunca suportará);
  • Legendas desaparecem ao dar um FF/REW em um DivX. [18/12/04] Preciso fazer mais testes. Aparentemente eu fui enganado por alguma particularidade dos filmes que eu estava usando nos testes;
  • Visibilidade das legendas externas chega a ser péssima em filmes fullscreen DivX. Mas isso pode ser parcialmente contornado seguindo essas dicas ou quase que completamente pelo uso do firmware Huffyk;

Resumo das coisas de que gostei (prós):

  • 110/220V automático;
  • Amplo suporte a media (diferentes formatos e fabricantes);
  • Suporta vários filmes no mesmo disco, não importando o tipo (incluindo vários AVIs em um mesmo DVD-R);
  • Atualização de firmware muito fácil (até demais);
  • Identifica os arquivos de media (filmes e músicas) corretamente, não importando se a extensão usada está incorreta;
  • É capaz de carregar legendas de um disco diferente do disco onde está o filme.

Resumo das várias omissões do manual:

  • Nem sequer cita a palavra XviD, embora o aparelho seja compatível com XviD;
  • Não cita que a função Time Search está disponível para AVIs e MPGs;
  • Descaradamente faz de conta que DVD-R e DVD-RW não existem. Só fala em DVD+R e DVD+RW, mas suporta tudo;
  • Não cita que é possível usar um DVD (-R. +R, -RW ou +RW) cheio de DivX ou de MP3;
  • Não cita que é compatível com DivX com áudio em AC3;
  • Se o codec de áudio não for suportado, o aparelho simplesmente fica mudo, mas o vídeo é exibido normalmente, sem mensagens de erro.

O que pode inviabilizar ou adiar o seu uso do aparelho (hardware):

  • Aparelhos de DVD não tem saída para antena. Se sua TV não tiver, no mínimo, uma entrada RCA (vídeo composto), você não poderá usar este ou qualquer outro DVD player. Para contornar o problema você pode conectar o aparelho a um Vídeo Link (sem fio, R$ 80 ou menos) ou a um conversor RF. A qualidade, entretanto, será significativamente inferior a que você poderia obter se sua TV tivesse as entradas adequadas;
  • Se sua TV não for compatível com NTSC você não poderá ter uma imagem colorida, mesmo usando o artifício anterior, porque o DVP642 é compatível com PAL-B/G e não com PAL-M. Sei que isso não é conselho que se dê, mas pode ser melhor comprar outra TV (som melhor, imagem melhor, etc).

    Dica do Luciano Sturaro (http://www.hamtec.tk):

    Uma dica meio sonsa, mas que pode quebrar muito o galho de quem tem uma TV só PAL-M e quer ligar um DVD.

    Cate o velho video cassete que esta encostado ali na estante, e veja se ele tem a possibilidade de escolher o sistema de cores da entrada A/V ou da gravação como o manual do fabricante queira.

    Eu tenho um Philco PVC-8400 meio velhinho já que tem essa opção, eu posso injetar um sinal NTSC na entrada A/V e mandar ele converter para PAL-M e ainda de quebra usa o modulador de RF dele pra jogar na TV.

Não é aquela maravilha mas vai funcionar :o)

Coisas que li pela NET mas NÃO pude checar

  • Se seu aparelho for um modelo (muito) antigo e não estiver lendo DVD-R, fazer o upgrade do firmware pode resolver o problema;
  • Auto Gordian Knot (AutoGK) produz arquivos completamente compatíveis;

Como converter ou consertar a fonte de alimentação

Não tem utilidade para usuários de DVP642K/78, porque a fonte desses aparelhos já vem 110/220V de fábrica. Só tem valor se seu aparelho foi comprado lá fora e não tem opção para 220V, como é o caso de muitos que acompanham esta página.

Esta dica, do usuário Manija de Videohelp.com, não foi testada por mim, mas parece confiável. Traduzida do inglês.

Como converter a fonte de alimentação do PHILIPS DVP642 para 220V ?

Para converter para seleção automática de voltagem (100V a 240V) simplesmente substitua os seguintes componentes na placa da fonte:

Peça Original
Substituta

C304: Capacitor de 68uF x 250V

C301: Capacitor de .1uF x 250V

VTR1: Varistor de 145V 10mm

33uF x 450V

.1uF x 650V

Varistor de 300V 10mm

O projeto usa o CI Fairchild KA5H02659R para controlar a fonte e não é necessária nenhuma outra modificação para que esta trabalhe de 100 a 240V. No momento, já existe uma dúzia de DVD players funcionando bem com esta modificação. Se você estiver receoso, tente usar uma lâmpada em série de 25Wx220V ([RYAN]: Isso é conhecido no Brasil como “teste lâmpada-série”) Se algo der errado, a lãmpada ficará acesa o tempo todo, mas é normal nos dois primeiros segundos

Aproveite!

Manija

[30/01/05] Eu abri dois DVP642K/78 e, para minha surpresa, os componentes estavam mais para “a substituir” do que para “substitutos”. Se eu fosse me basear pela dica de Manija diria que a fonte do DVP642K/78 é 110V apenas, mas sei que é bivolt, porque eu uso ele em 220V o dia todo! Eis a lista dos componentes em ambos os aparelhos que abri:

  • C304: Capacitor de 68uF x 400V
  • C301: Capacitor de .1uF x 250V
  • VTR1: Varistor de 145V 10mm

Aparentemente, a fonte do DVP642 de 110V é diferente. Estou precisando de fotos dessas fontes para analisar se a dica de Manija realmente tem valor.

Se você queimou sua fonte e for do tipo sortudo, a simples substituição de um ou mais dos componentes acima (mais o fusível) poderá consertá-la. Eu estimo que o custo total dessas peças fique em no máximo R$ 15,00. Com sorte, só estarão queimados o varistor e o fusível.

Manija informa que você pode simplesmente remover o varistor no lugar de substituí-lo, mas eu recomendo que você faça a substituição, porque o varistor é um componente de proteção e você pode pagar caro no futuro por ter deixado seu lugar vazio.

Abaixo, a posição dos componentes citados na placa da fonte do DVP642K/78 (pode ser diferente em outro modelo)

Resumo do Product Brief

Lendo o documento oficial da ESS sobre o Vibratto II (o “Product Brief) é possível encontrar revelações interessantes sobre o DVP642:

Atenção: nada disto foi testado! São capacidades do chip que podem ou não terem sido usadas pela Philips! Nâo me faça perguntas relacionadas a isso!

  • O Karaokê suporta pontuação (refutado por dois usuários);
  • Suporta áudio AAC;
  • Suporta HDCD;
  • Suporta WMA (Não bate com meus testes);

Defeitos e suspeitas

O aparelho não lê mais mídias DVD, nem CD-RW, mas lê CDs e CD-Rs

O laser DVD provavelmente pifou. Se estiver na garantia, troque imediatamente. Se não estiver, você pode tentar fazer um ajuste (ainda não sei fazer isso, pois tenho que esperar a garantia do meu vencer para abri-lo de novo)

Você talvez não saiba disso, mas um DVD player precisa ter dois lasers para ser capaz de ler também CDs. Para ler DVDs é necessário um laser vermelho de 650nm (nanometros) , enquanto que para ler CDs é necessário um laser infravermelho de 780nm. Incidentalmente, é mais fácil para o laser DVD ler um CD-RW do que para o laser CD. Se você comprou algum dos primeiros drives de DVD-ROM a chegar ao Brasil, pode ter percebido que curiosamente eles liam CD-RW embora fossem incapazes de ler CD-R.

Só para ilustrar, eis a foto de um Cyberhome CH-DVD 300 aberto e exibindo seus dois lasers:

[25/01] – A figura acima mostra os dois lasers fisicamente separados mas, como bem lembrou o visitante Gustavo Niemeyer, existem casos em que parece haver apenas um laser, como nos drives de DVD dos notebooks. Aliás, esse é o caso também do próprio DVP642, como você pode conferir na foto do loader. Entretanto, até onde sei, nesses casos os lasers estão partilhando o mesmo sistema óptico. Você não os vê separados porque ambos estão debaixo da mesma lente. Eu não sei o que faz um fabricante escolher um ou outro design e não tenho conhecimento de nenhum laser que sozinho possa ler todas as mídias.

O aparelho faz um ruído estranho, de certa forma parecido com o de um passarinho

Isso é normal, mas aparentemente depende do lote de fabricação. O meu primeiro aparelho era absolutamente silencioso, mas em seguida eu comprei mais dois que faziam esse ruído. Aparentemente, dependendo do lote de fabricação a Philips usou loaders diferentes. Estou curioso para saber se isso influenciaria a compatibilidade do aparelho com as mídias vagabundas;

[03/03/05] Isto possivelmente depende do seu player ser “M”, “S” ou “E”, mas ainda não pude confirmar isto.

O aparelho esquenta bastante

É normal que o DVP642 pareça anormalmente quente (para um aparelho que supostamente consome míseros 15W) em sua parte superior, na metade direita (diretamente acima da placa CPU), mas não tão quente que você não possa pôr a mão. E também não produz nenhum cheiro estranho.

O aparelho desliga sozinho após algum tempo de uso

Experimente melhorar a ventilação dele. A única vez em que isso ocorreu comigo foi quando tive a brilhante idéia de deixá-lo dentro do saco plástico, mesmo ligado, para não arranhá-lo no leva-e-trás dos meus testes. Deve ter esquentado demais!

O aparelho liga por alguns segundos e pode até exibir alguma imagem na tela, mas o display permanece apagado. Desliga rapidamente.

Isso pode ser provocado, por estranho que pareça, por um mau contato no cabo que conecta a CPU ao display. Experimente desconectar e reconectar o cabo várias vezes para remover uma possível oxidação nos contatos. Como último recurso, experimente soltar a placa do display e procurar por um mau contato lá.

Outras informações

  • O Philips DVP630 é uma versão européia do DVP642. Tudo o que você encontrar sobre o DVP630 vale para o DVP642;
  • O DVP642 suporta multisessão, mas apenas em mídia regravável. Você pode gravar um filme com o Nero e deixar o CD/DVD aberto, para ir colocando outras coisas depois. Eu estou fazendo isso para testar legendas: Gravo o filme e depois vou gravando somente as legendas alteradas (leva segundos). Só testei com CD-RW e DVD+RW até agora. Não testei ainda com CD-R, DVD-R ou DVD-RW, mas já recebi vários relatos de que se você fizer uma mídia -R multisessão, o DVP642 só enxergará a sessão original;
  • Você pode testar toda a compatibilidade com CODECs do DVP642 usando o DivXTESTCD 1.1 , que pode se encontrado na rede edonkey/emule (se não sabe o que é emule, não me pergunte. Comece aprendendo aqui ) através do link:
    ed2k://|file|DivXTestCD.v1.1.by.bbdoc.[forum.surdvd.com].iso|720801792|FB027F810DA475552D8E87F8C6A9A0EA|/

Resumo das ferramentas citadas ao longo deste texto:

  • GSPOT – Para identificar os codecs usados nos filmes AVI. A partir da versão 2.5b3 ele também informa se o AVI foi codificado com GMC, QPEL ou B-Frames;
  • AVICODEC – Em comparação com GSPOT, AVICODEC parece ser um programa sem atrativos. Entretanto, AVICODEC pode analisar um diretório ou mesmo um HD inteiro de uma vez só e listar na tela o que é usado pelos seus filmes. Você também pode ordenar a lista por codec de áudio, codec de vídeo ou por qualquer outro dos atributos lidos pelo programa. Você pode usá-lo para identificar em segundos que filmes no seu HD tem codecs não suportados pelo DVP642 e até descobrir coisas interessantes. Eu acabo de descobrir que tenho um AVI com áudio em DTS e nem desconfiava 🙂 O ponto fraco de AVICODEC é não identificar QPEL e GMC. Para isso você ainda precisa do GSPOT.
  • Subtitle Workshop – Software criado por um uruguaio, muito bom para editar e converter legendas;
  • MPEG4 Modifier Requer o .NET Framework instalado (como o .NET é muito grande – 25MB- só baixe e instale se o MPEG4 Modifier não rodar) – Usado para corrigir o problema de alguns filmes que não mostram imagem na tela e ficam avançando rapidamente até parar, identificar/remover Packed Bitstream e identificar o uso de matrizes customizadas;
  • DVDInfoPro – Para identificar o verdadeiro fabricante de uma mídia DVD;
  • DivXTESTCD – CD criado por um grupo francês que permite testar a compatibilidade do aparelho com vários codecs. Também pode mostrar o overscan e o suporte a legendas (700MB – emule) ed2k://|file|DivXTestCD.v1.1.by.bbdoc.[forum.surdvd.com].iso|720801792|FB027F810DA475552D8E87F8C6A9A0EA|/

Outros links úteis citados ao longo do texto

Algumas discussões sobre o DVP642 no exterior

Tenha em mente que nesses fóruns eles não estão falando especificamente sobre o DVP642K/78, então qualquer link para firmware pode ser para o firmware errado! O resto continua valendo.

Outros textos meus relacionados a este

Agradecimentos (pessoas que contribuiram para este trabalho):

  • Vlado Huffyk (http://huffyk.hollosite.com) Pela autoria da primeira versão modificada de firmware de que tivemos notícia, revolucionando o DVP642, e por ter aguentado as intermináveis questões do Bruno 😀
  • !3runo (http://www.cfide.com.br) – Pelo empenho na criação do Firmware Bruno, pelas contribuições para Linux, por hospedar meu site desde junho de 2005 e pelas revisões que faz no meu texto à cata de erros e inconsistências. Ele é o único que se dá ao trabalho de corrigir até meus erros de digitação 🙂
  • Giovanni Dioro – Pela tradução para o inglês de uma parte de meu site e outras constantes contribuições;
  • Davidson Ferreira – Por estar sempre atento aos erros na página 🙂
  • Wagner Teixeira (http://www.wtb.com.br) – por ter mantido este site online por anos 🙂
  • Wagner Lipinharsky (http://www.ustr.net) – por me fazer enxergar a óbvia diferença entre o DVP642 e o DVP642K e me fazer compreender por que um botão de EJECT em um controle remoto não é algo estúpido;
  • Antonio de Araujo Matos Filho – por me mostrar onde eu poderia obter o firmware 0531 para o DVP642K/78 e por me enviar o manual em português (quando não estavam no site da Philips);
  • Marcelo Nunes – Por me apontar a existência do problema dos “square pixels”, me mandar um filme de amostra em CD e ainda me apontar como poderia ser resolvido o problema!
  • Eduardo Melo – Por ter me indicado a existência do “Product Brief” do chipset Vibratto II, que embora não seja a fonte definitiva de informações sobre o produto, trouxe importantes revelações sobre suas capacidades;
  • Caio Lira, de Recife – por me repassar notícias sobre novos DVD players brasileiros compatíveis com DivX;
  • Lorensetti – O primeiro a apontar a solução para o sombreamento das legendas DivX;

1 comment to DVD/DivX/MPEG4 Player – Philips DVP642K/78 (DVP642)

Leave a Reply

You can use these HTML tags

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>